All posts by Luiz Eduardo Monteiro

Loja Virtual para atacado ou revendedores

Loja virtual para atacado está cada vez mais em alta

Com o crescimento do Ecommerce no Brasil, as empresas tem evoluído a gestão comercial, levando o processo de compras para a internet não só dos consumidores finais como também de suas redes de revendedores ou canais de vendas intermediários.

Grandes atacadistas no Brasil cresceram por meio deste processo controlado e informatizado e agora pequenas fábricas, produtores e cooperativas estão aderindo a plataformas de loja virtual para atacado que os permitem diferenciar preços do consumidor final.

Qual a vantagem de ter uma loja virtual para atacado

  • Diretamente isso implica em mais automação comercial onde o próprio revendedor tira o seu próprio pedido conforme o seu perfil de compras.
  • A equipe comercial da empresa pode investir mais tempo gerenciando o perfil de seus revendedores e estimulando-os a fazer mais negócios com a empresa, ao invés de apenas tirar pedidos passivamente.
  • E podemos citar também a facilidade da circulação da informação, pois os revendedores passam a contar com o catálogo online da empresa já com preços especiais só para revendedores, conforme seus níveis de revenda.
  • Concentração da gestão de pedidos de atacadistas, distribuidores, revendedores e consumidores finais em um único local.
  • Concentração da gestão do mix de produtos na internet em um único sistema.

Cuidados ao criar uma loja virtual para atacado

  • Certifique-se que o seu preço com desconto seja visto somente por seus revendedores devidamente cadastrados e aprovados por um processo mínimo de documentos, evitando assim que o seu preço com desconto fique aberto para a concorrência ou clientes finais.
  • Segmente bem sua comunicação de email marketing e ofertas de acordo com cada grupo de cliente (revendedor), evitando enviar preços para grupos errados.

 

Como criar uma loja virtual para atacado?

Nem todas as plataformas de loja virtual estão preparados para atender tanto consumidor final quanto revendedores. Mas a loja virtual da Brasil na Web possui esse recurso e lhe permite criar uma loja virtual para atacado com muita facilidade.

Primeiro, você precisar criar sua loja virtual pelo nosso site agora.

Depois, veja este post sobre como criar grupos de clientes e definir preços para revendedores

 

Vídeo – Criação de loja virtual Open Source Brasil na Web

Nem sempre temos a oportunidade de conversarmos com cada empreendedor para orientarmos sobre a criação da loja virtual, passar dicas e explicar um primeiro passo muito importante:

A escolha da plataforma de loja virtual

Existem muitas opções de serviços para criar loja virtual no mercado e a Brasil na Web vem reunindo cada vez mais o melhor pacote de benefícios para o seu ecommerce começar e crescer com viabilidade.

A Brasil na Web uniu a força do sistema de loja virtual OpenCart, que é Open Source, com a comodidade e economia de um serviço de aluguel de loja virtual.

A primeira grande diferença é que nós não fazemos aluguel de loja virtual, aqui a loja é do cliente a partir da primeira mensalidade, ou seja, você pode ter acesso aos arquivos completos de sua loja. Se um dia precisar dizer adeus, leva tudo e não perde o trabalho investido!

Nosso novo vídeo explica essas e outras grandes vantagens de se utilizar um ecommerce open source com a Brasil na Web com a narração de Sérgio Moreno.

Assista Agora

Brasil na Web Finalista no Prêmio ABCOMM – Inovação Digital 2016

Somos Finalista do Prêmio ABCOMM de Inovação Digital 2016!

E…ao nosso estilo mineirês – Que trem bão sô!

Temos dedicados os 5 últimos anos da empresa ao comércio eletrônico, elevando o projeto de loja virtual opencart Brasil na Web ao patamar de plataforma fácil, simples e para qualquer porte de negócio.

E quando recebemos a notícia do Presidente da ABCOMM, Maurício Salvador, que somos finalistas no Prêmio ABCOMM de Inovação Digital 2016 – Categoria Destaque em Tecnologia Web não podiamos ficar mais felizes e empolgados \o/

Sem dúvida, um reconhecimento de que nossos esforços estão contribuindo para o cenário de comércio eletrônico no Brasil e sendo observados pelos grandes profissionais deste mercado a quem somos muito gratos.

Agora precisamos do seu voto para conquistar este prêmio!

Vote na Brasil na Web no formulário de votação no site da ABCOMM! É rápido e você contribuirá muito para nossa motivação continuar nas alturas! Muito obrigado!

 

Vote agora na Brasil na Web

 

ICMS – Como as regras de partilha do Novo ICMS afetam o meu negócio?

A partir de janeiro de 2016, as empresas deverão dividir, entre os estados comprador e vendedor, a arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), cobrado sobre seus produtos e serviços. Trata-se da Emenda Constitucional nº 87 (EC 87/2015), aprovada em setembro de 2015.

O ICMS – que era em sua totalidade recolhido pelo estado onde fica a sede da loja – passa a ser compartilhado com o estado de residência do comprador ou de destino da mercadoria, que antes da mudança não tinha qualquer participação no imposto cobrado. Já as lojas que não vendem para outros estados não sofrem nenhuma alteração.

Conforme a EC 87/2015, que entra em vigor em 01/01/2016, nas operações que destinam bens e serviços ao consumidor final não contribuinte de ICMS localizado em outro estado, o imposto devido corresponde à diferença entre a alíquota interna do estado de destino e a alíquota interestadual, será partilhado entre os estados de origem e de destino, nas seguintes proporções:

 

AnoEstado de OrigemEstado de Destino
201640%60%
201760%40%
201880%20%
2019100%0%

 

Alguns sistemas de gestão, como o Tiny ERP, já estão adequados à nova legislação, realizando cálculos automáticos conforme o estado de destino e os rateios progressivos, de acordo com a tabela acima. E vale lembrar que o Tiny ERP pode ser integrado a sua loja virtual da Brasil na Web – o módulo é gratuito!

O que muda no cálculo

Para o cálculo do ICMS próprio, bem como os valores destacados na DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica), não haverá alteração com a entrada em vigor da EC 87/2015. Por outro lado, o cálculo da partilha do ICMS basicamente se dará da seguinte forma:

Tendo como exemplo um e-commerce no regime Simples Nacional, localizado no estado de São Paulo, com alíquota interestadual de 12% de ICMS, efetuando venda para o estado do Rio de Janeiro, que possui alíquota interna de 19%, no caso de uma venda de um produto nacional cujo total é R$1.000,00.

  • O valor do ICMS que pode ser utilizado como crédito pelo comprador para essa venda (que não sofreu alterações) é calculado normalmente. Para este exemplo, usaremos a alíquota de 1,25%. Desta forma, tem-se R$1.000,00 x 1,25% = R$12,50.
  • Para o ICMS da partilha entre as UFs, usa-se o diferencial entre as alíquotas interestadual e interna do estado de destino, ou seja, 19% – 12% = 7%. Sendo assim, R$1.000,00 x 7% = R$70,00.

Sobre o valor do ICMS da partilha, apurado no passo anterior, ainda deve-se efetuar o rateio entre os estados de origem e destino. Para o ano de 2016, R$28,00 (correspondente aos 40%) são da UF destino (este é o valor que deve ser gerado na GNRE para o recolhimento do imposto) e R$42,00 (correspondem aos 60%) são da UF de origem.

Simulando o cálculo para uma empresa no Regime Normal de tributação, com as mesmas alíquotas utilizadas no exemplo acima, estado de origem SP com alíquota interestadual para o RJ de 12%, alíquota interna no RJ de 19% e uma venda de um produto nacional cujo total é R$1.000,00, tem-se a seguinte situação:

  • O ICMS da operação é o resultado de R$1.000,00 x 12%, sendo o valor R$120,00 (este é valor correspondente ao ICMS próprio, que não sofreu nenhuma alteração).
  • Para a partilha do ICMS, neste caso, é o resultado da equação R$1.000,00 x 7% (19% – 12% = 7%) resultando em R$70,00. Deste valor, 40% são da UF de destino (R$28,00) e 60% (R$42,00) da UF de origem.

Como fica a Nota Fiscal Eletrônica

São necessários alguns novos campos no arquivo XML da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) , para comportar a nova forma de apresentação do ICMS, como:

  • ICMS para UF Destino: grupo de campos que recebem as informações do ICMS devido para o destino das mercadorias;
  • Totais de ICMS Destino: grupo de campos que totalizam os impostos devidos ao destino na nota fiscal;

A DANFE, em princípio, não sofrerá mudança no layout, mas as empresas devem informar no campo de Informações Adicionais, os valores recolhidos através das guias de recolhimento, ou seja, os valores descritos no campo específico da partilha do ICMS do XML.

Guia de recolhimento dos tributos

Com relação ao recolhimento do imposto, para empresas que não possuem Inscrição Estadual nos estados de destino, é usada a guia GNRE, e isto significa que o recolhimento é efetuado por operação, ou seja, para cada nota fiscal. A indicação é que a mercadoria circule com a guia de recolhimento com pagamento efetuado para os casos de recolhimento por operação.

Para as empresas que possuem Inscrição Estadual no estado destino, deve-se utilizar a guia do próprio estado, que permite que o recolhimento seja efetuado pela apuração mensal do ICMS.

 

Impacto

O mercado de e-commerce, principalmente, precisará rever seus custos, pois os produtos terão incidências diferentes de impostos, dependendo do destino da venda.

É importante salientar que a EC 87/2015 não aplica-se apenas para e-commerce, mas para todas as operações para fora do Estado de inscrição da empresa e que o consumidor final seja não contribuinte.

 

Como exibir os preços na minha loja virtual?

Teoricamente, os produtos terão valores de venda diferentes conforme as alíquotas dos Estados de destino, mas a EC 87/2015 é clara quando fala que estes custos são da empresa e não do cliente. Considerando esse ponto, é importante que na formação do preço de venda, no markup do produto, estas diferenciações estejam inclusas e a indicação é usar o custo médio dos produtos, podendo usar técnicas de curva ABC ou média ponderada.

 

A disputa pela queda do Novo ICMS

Entidades como Sebrae e OAB já estão preparando uma ação direta de inconstitucionalidade a ser proposta por todas as entidades coordenadas pelo ‪‎Sebrae‬, contra as novas regras para cobrança de #ICMS nas operações interestaduais. O Sr. Guilherme Afif, Presidente do SEBRAE Nacional, está articulando os esforços necessários para que esse movimento granhe força e derrube a nova regra que, de acordo com o Sebrae, já é responsável pelo fechamento de uma empresa por minuto no país.

“Não podemos aguardar uma próxima reunião do Confaz‬ para revogação dessa medida. Vamos entrar o mais rápido possível com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no STF para que seja cumprido o tratamento diferenciado às MPEs, previsto na Constituição.”

 

Continuaremos acompanhando e divulgando as novidades sobre a mobilização de combate as regras da partilha do ICMS interestadual que mudou as regras do ICMS no Brasil.

#mobilização #ICMS #e-commerce #MPEs

 

Black Friday 2015 deve movimentar R$ 1,31 bilhão, estima ABComm

A ser realizada no próximo dia 27 de novembro, a edição deste ano da Black Friday deve ter faturamento de R$ 1,31 bilhão. A estimativa é da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). Esse valor representa um crescimento de 18% em relação ao montante movimentado na mesma data de 2014.

De acordo com a ABComm, essa cifra abrange as compras a serem realizadas entre os dias 23 e 30 de novembro. As categorias de produtos mais vendidas devem ser eletrônicos, informática, moda e eletrodomésticos. O comércio eletrônico já considera a Black Friday como a segunda data mais importante para o varejo, atrás do Natal e a frente do Dias das Mães, de acordo com pesquisa realizada pela entidade.

A Associação estima também que as vendas na Black Friday deste ano devem já antecipar as compras de Natal pelos consumidores. De acordo com a ABComm, a Black Friday em 2015 terá uma sobreposição de vendas estimada em 36%. “Isso significa dizer que 36% das vendas serão pessoas antecipando as compras de Natal”, avalia Maurício Salvador, presidente da ABComm.

A ABComm avalia ainda que as promoções devem começar de forma antecipada ao dia 27 de novembro. “A Black Friday no Brasil esse ano deve ser antecipada”, afirma Salvador. “Algumas lojas devem começar a oferecer descontos já no inicio de novembro”, complementa o presidente da entidade.

Aproveite e saiba como preparar a sua loja virtual para o Black Friday

Fonte: http://ecommercenews.com.br/noticias/balancos/black-friday-2015-deve-movimentar-r-131-bilhao-estima-abcomm

Processo de liberação de domínios outubro de 2015

Olá pessoal! A Registro.br começará no próximo dia 03 de outubro o processo de liberação de domínios que está repleto de ótimos nomes de domínios para agregar em sua estratégia de marketing digital.

São 326.808 domínios liberados para registro neste processo de liberação!

Veja a lista de domínios completa

Motivos para comprar um domínio destes para o seu negócio online:

1) Domínios com reputação: Muitos domínios possuiam sites e ainda podem ter links apondando para eles, e com isso alguma reputação e tráfego, que poderia ser direcionado para o seu site atual. Contudo, vale uma boa análise antes de comprar e pela ferramenta de Liberação de Domínios da Brasil na Web você tem 7 links relacionados a cada domínio para fazer essa análise facilmente.

Acesse a ferramenta de consulta e análise destes domínios aqui!

2) Você pode encontrar o nome da sua empresa em um formato mais curto e com isso reduzir o tamanhos dos emails e facilitar a divulgação verbal ou mesmo impressa do site da empresa. Contudo, em alguns casos é melhor manter o seu domínios atual e apenas apontar o novo domínio para o seu site.

3) Domínios com nomes genéricos e que você pode até vender no futuro para outras empresas. Não são muitos, mas é possível achar algumas raridades em meio a lista de mais de 300.000 domínios deste processo de liberação de outubro de 2015. Você pode investir R$ 30,00 para faturar algumas centenas de reais vendendo para outra empresa depois. Só não deixe de ficar atento as regras de Direitos sobre um Domínio.

4) Domínios com palavras-chave: Você também pode registrar domínios que possuam palavras-chave relacionadas ao seu negócio, afinal o Google da uma boa importância para sites que possuem a palavra-chave no domínio de certa forma. Logo, você pode usar essa estratégia para alavancar suas posições nos resultados de pesquisa. Contudo, avalie corretamente se vale a pena trocar o seu domínio atual pelo novo a ser registrado ou se talvez não seja melhor fazer um pequeno site e colocar neste novo domínio que também fale sobre você! De tudo, você apenas apontar o novo domínio para o seu site atual, mas isso não ajudará muito em termos de posicionamento no Google.

O que está esperando? O processo de liberação de domínios só vai até o dia 18 de outubro de 2015!

Veja a lista de domínios completa

Integração Tiny e OpenCart Ecommerce

Hoje vamos falar sobre a integração Tiny e OpenCart Ecomerce que é uma solução muito interessante para empresas que vendem online e precisam crescer com organização e sincronismo de informação. A isso se dá o nome de ecommerce integrado, ou seja, o cadastro de produtos, estoque e pedidos é automaticamente alinhado o tempo todo entre as duas plataformas para evitar problemas com vendas de produtos sem estoque e preços incorretos.

 

O que é o Tiny?

Tiny é um sistema de gestão empresarial ou ERP, que possui as principais funcionalidades para gerenciar uma empresa de comércio e/ou serviços. O sistema é online, ou seja, nas nuvens e é acessado pela internet de qualquer lugar que você precisar não requerendo instalação em nenhum computador. O Tiny trabalha com alto nível de segurança e criptografando todos os dados e acessos para garantir a integridade e sigilo das suas informações empresariais.

 

O que é OpenCart?

A OpenCart é um sistema de loja virtual robusto e Open Source. Ou seja, o código é aberto e com isso milhares de desenvolvedores criam novas funcionalidades diariamente para o sistema e colocam estes recursos a venda em formato de módulos para você incrementar a sua loja no que for necessário. O projeto oficial da OpenCart é europeu e por isso não possui todas as adaptações necessárias para o mercado brasileiro.

Contudo, desde 2013 a Brasil na Web abraçou o projeto e criou a OpenCart BNW que possui quase uma centena de melhorias e funcionalidades voltadas para o cenário de e-commerce brasileiro. E você pode solicitar a sua instalação e testar por 30 dias gratuitamente aqui.

 

Integração Tiny e OpenCart

A Brasil na Web, parceira da Tiny Software, conversou com a equipe Tiny sobre as funcionalidades dessa integração e explicamos abaixo mais detalhes para você que está interessado em ter um ecommerce robusto e integrado a um sistema de gestão profissional.

Cadastro de produtos: A Tiny é capaz de sincronizar todos os produtos cadastrados na loja virtual ou no sistema de gestão afim de manter ambas as plataformas sincronizadas o tempo todo, o que gera um grande ganho de tempo e evita problemas como venda de produtos sem estoque ou com preços errados.

Estoque de produtos: O estoque é igualmente atualizado entre ambos, não importa onde a venda seja feita, online ou diretamente no sistema da Tiny em um balcão de loja.

Variação de opções: É comum ter produtos que possuem variações como: Camisa do Brasil Amarela, Camisa do Brasil Azul, Camisa do Brasil Branca. No Tiny cada produto será independente e terá seu estoque separado (é o certo!) e assim será sincronizado com a loja virtual.

Múltiplos preços: A OpenCart permite que você defina preços com descontos com base no volume de compra de um terminado produto, porém a Tiny ainda não suporta essa funcionalidade. Porém o cliente que obter descontos e fizer o seu pedido na loja virtual terá todos os dados finais devidamente importados para o Tiny automaticamente.

Grupo de Clientes: A Tiny oferece a opção de SEGMENTO de clientes no qual é possível aplicar um desconto padrão para todos os clientes daquele grupo, para todos os produtos. A OpenCart chama isso de Grupo de Clientes, porém os descontos são independentes e aplicados produto a produto, conforme explicado no item acima de múltiplos preços.

Pedidos da loja virtual: A cada pedido na loja virtual a Tiny importa todas as informações e lança tanto o pedido no sistema quanto o cadastro do cliente, de acordo com as informações de produtos e preços passados pela loja virtual.

Cadastro de clientes: A Tiny ainda não sincroniza cadastro de clientes feitos no Tiny para a Loja Virtual, contudo o cadastro de cliente que vem junto com um pedido da loja virtual é importado para o Tiny normalmente.

Emissão de Nota Fiscal: Assim que um pedido é feito na loja virtual a Tiny importa para o sistema de gestão e permite que o administrador escolha quais pedidos processar e emitir a Nota Fiscal que é enviada automaticamente para o email do cliente.

 

Interessou pela solução de Integração Tiny e OpenCart?

Conheça os planos da Tiny e solicite a sua loja virtual OpenCart BNW agora mesmo com 30 dias para testar gratuitamente!

Conheça o Tiny

 

Divulgue sua loja em sites de cupom de descontos

Todo proprietário de loja virtual sabe que é necessário divulgar para vender cada vez mais. Muitos investem em Google Ads, Redes Sociais mas esquecem do poderoso Cupom de Desconto que pode complementar a estratégia de Marketing da sua loja virtual.

O Google revelou que a busca por “cupons de desconto”, por meio do seu buscador, dobra de tamanho a cada ano.

E você ai parado sem usar cupons ainda?

CUPOM DE DESCONTO

Se você já foi a Miami fazer compras, aposto que usou aqueles cupons que dão 10%, 15%, 25% de desconto nas lojas. Eu fiquei chateado ao perder um cupom de 50% da loja Tommy!

Quem passou por essa experiência de compras sabe o poder dos cupons de desconto. Mas a verdade é que no Brasil muitos empresários não entendem que descontos divulgados dessa forma são verdadeiras propagandas de alta qualidade, pois geram boca a boca e tem grande força de conversão.

1) Muitos consumidores não fariam a compra se não tivessem encontrado um cupom de desconto, pois muitas vezes é exatamente esse desconto que permite que a compra se encaixe no orçamento dele. O uso de um cupom também dá uma sensação de satisfação que o deixa mais propenso a finalizar o processo.

2) Os consumidores tendem a retornar ao site para uma segunda compra. Os clientes associam a satisfação sentida na compra com cupom de desconto à marca e isso os leva a repetir a compra futuramente.

3) Cupons de desconto se viralizam. Quando um consumidor encontra um bom código promocional, ele compartilha a notícia para seus amigos, o que também possibilita aumento das vendas.

4) O uso de cupons aumenta o ticket médio da loja. Como está economizando, o cliente compra mais para aproveitar o desconto. Uma das formas de fazer isso acontecer é determinar um valor mínimo para o uso do cupom (exemplo: cupom de 10% de desconto para compras acima de R$ 150,00). Dessa forma, os consumidores serão instigados a acrescentar mais produtos a seu carrinho, com o objetivo de conseguir o desconto e ter a sensação de que valeu a pena.

5) Tudo pode ser medido. É muito fácil acompanhar as métricas para comprovar os benefícios do uso de cupons de desconto e, principalmente, o aumento de vendas que eles proporcionam.

 

GERANDO SEUS CUPONS DE DESCONTO

Encare o cupom como um investimento em propaganda que gera vendas! Utilize o Calendário de Marketing Digital para encontrar boas datas e gere cupons de desconto especiais para divulgar nestes sites especializados!

– Cupons por canal de divulgação (sites, emails, revistas, radio, tv)
– Cupons por segmento de produtos
– Cupons para data sazonais
– Cupons para grupos de clientes específicos
– Cupons para parceiros & afiliados

Na Plataforma de loja virtual da Brasil na Web, você pode fazer várias combinações para gerar o cupom de desconto. (Menu > Vendas > Cupons de Desconto)

Ainda não tem uma Loja Virtual? Comece Grátis ou Avançado Agora > www.brasilnaweb.com.br

 

15 SITES PARA DIVULGAR SEU CUPOM DE DESCONTO

De nada adianta criar os cupons e não divulgá-los!

Alguns sites cobram pela divulgação, pois prometem grande visibilidade para o seu cupom, outros são gratuitos…. Veja a lista de sites brasileiros e internacionais para você divulgar seu cupom de descontos.

  1. webpromocoes.com.br
  2. agoracupom.com.br
  3. 1001cupomdedescontos.com.br
  4. cuponomia.com.br
  5. ofertas.meiobit.com.br
  6. tecnoblog.net/cupons
  7. buscadescontos.com.br
  8. cupomdesconto.com.br
  9. pegadesconto.com.br
  10. promoclub.com.br
  11. ciadosdescontos.com
  12. cupom.org
  13. codigosdesconto.com.br
  14. promobit.com.br
  15. cupomvalido.com.br
  16. cuponeria.com.br

É isso ai, sucesso nas vendas e até a próxima!

Principais diferenças entre E-commerce B2B e B2C

Cada vez mais, muitos tipos de empresas estão aproveitando o potencial da internet para fazer mais negócios, mas será que uma loja virtual comum que vende para consumidores finais serve para uma empresa que pretende vender para outras empresas?

O objetivo, claro, é fazer mais negócios. Porém, devido a peculiaridades do mundo B2B, uma plataforma B2C pode não atender se não possuir recursos que permitam a empresa realizar a venda no formato que seus clientes corporativos precisam.

Principais diferenças entre E-commerce B2B e B2C

O que é B2B, em resumo são vendas realizadas para empresas.
O que é B2C, em resumo, são vendas realizadas para pessoas físicas ou consumidores finais de certo modo, que até podem ser empresas, desde que não estejam comprando para revender.

Características do mercado

O Mercado de Ecommerce B2B (business to business ou empresa-para-emopresa) geralmente vai trabalhar com clientes mais seletos ou segmentados, com vendas as vezes em modo fechado, com aprovação de cadastro prévio e análise de crédito, ou seja, mais direcionado e restrito. Já uma loja virtual para B2C (business to consumer ou empresa-consumidor) é absolutamente mais volumoso, disperso e heterogêneo e um tanto quanto conhecido por todos, afinal já é comum comprarmos mais pela internet e logo, sabemos como isso funciona. Outra característica é que no B2C costuma-se ter tickets médios bem inferiores ao B2B, o que explica as diferenças de faturamento usuais entre os dois segmentos.

Tecnologia e Oportunidade de Mercado

Todos já sabem do potencial de se vender para clientes finais na internet pois faz mais de 10 anos que os brasileiros começaram a comprar online e cada vez mais consumidores estão realizando compras em lojas virtuais no Brasil. No entanto, muitas empresas que vendem para outras empresas, podem desfrutar da tecnologia do e-commerce para receber para receber pedidos de forma rápida e facilitada, agilizando o processo de venda da equipe comercial, sem falar que dependendo da plataforma que for usada é possível fazer a venda direta e receber o pagamento online, com a devida atenção a questões fiscais e substituição tributária. Se isso não for possível em sua loja virtual, você pode receber pelo menos os pedidos e o cadastro do cliente pronto para serem analisados e fechados pessoal por sua equipe de vendas por telefone, email e etc. Esse método pode apresentar um grande ganho para a empresa que opera no B2B e caso ela possa investir em um sistema completo para vender e receber online é ótimo também!

Psicologia de compra

Enquanto no e-commerce B2B a compra é racional, planejada, em grandes volumes e, na maioria das vezes, com periodicidade constante, no comércio direto aos consumidores, o B2C, os volumes de aquisição de um mesmo cliente são diversos em relação a períodos distintos, relativamente irregulares e marcados pelo impulso da emoção. Esse detalhe obriga os empresários que trabalham com essa modalidade a investirem em plataformas extremamente intuitivas, com linguagem mais direta, que transmitam segurança, credibilidade e que convençam o consumidor a fechar negócio.

Diversidade nas políticas comerciais

Como abordei acima, a diversidade nas políticas comerciais é uma característica marcante do mercado B2B. Nesta modalidade, não é incomum que a empresa trabalhe com tabelas de preços distintas e de acordo com o perfil do cliente, o que justifica a necessidade de que essas plataformas sejam providas de alta flexibilidade em suas políticas comerciais — algo incomum no B2C, que costuma oferecer preços idênticos independente do perfil do cliente. Esse detalhe reforça a necessidade de que as lojas virtuais B2B saibam explorar ferramentas e softwares voltados ao segmento.

Estratégias de marketing

As estratégias de marketing entre e-commerce B2B e B2C também são bastante distintas. O B2C possui, em geral, estratégias de marketing mais agressivas e massificadas, buscando através de mídias sociais, links patrocinados e estratégias de SEO, por exemplo, captar o maior número de potenciais clientes e convertê-los em leads qualificados.

No B2B, no entanto, é necessário ir diretamente onde o seu público-alvo está. Há mais seletividade, o que não significa que não há investimento em marketing de relacionamento. Assim, a presença em eventos do setor, o envio de e-mail marketing a nichos específicos, além de constantes contatos entre representantes comerciais são muito bem-vindos no B2B.

Cálculo de impostos

Essa é uma particularidade do e-commerce B2B: se você optou por receber os pagamentos online junto como pedido, então a plataforma business-to-business deve calcular os tributos de vendas automaticamente na simulação do pedido, em função da origem e destino dos produtos adquiridos, bem como por força da substituição tributária entre Estados como citado acima também. Já nas plataformas B2C não é necessário se preocupar com essa questão, apenas com o valor do frete.

Formas de pagamento

Enquanto no B2C é possível fazer o pagamento por boleto à vista, cartão de crédito e, às vezes, por transferência bancária, o B2B é mais restrito e é comum trabalhar com venda faturada (quando você entrega o pedido sem ter recebido nada e confia que o cliente irá pagar após x dias e até em x parcelas, geralmente no boleto), o que é inviável de se fazer em um B2C pelo grande risco associado.

Plataforma OpenCart para B2B

A Plataforma OpenCart versão Brasil na Web permite tanto B2C quanto B2B em formato sem recebimento de pagamento online (quando o produto é para revenda). Isso porque não existe ainda no mercado um módulo de cálculo de substituição tributária para a plataforma opencart. Contudo a OpenCart permite que você tenha grupos de clientes cada um com sua tabela de preços diferentes que podem realizar o pedido direto na loja para a equipe comercial concluir a análise da venda, do crédito do cliente e faturar a venda em modo offline como normalmente a empresa talvez já o faça. Agora caso o produto não seja para revenda, logo sem substituição tributária (ou seja compra para consumo próprio), é plenamente possível você já receber o pagamento online pela loja virtual OpenCart! Apensa confira se sua política de recebimento são também do tipo à vista, cartão de credito, transferência online, boleto a vista).

Muita atenção as peculiaridades, mesmo que você queira montar uma loja virtual para B2C

Enquanto eu escrevia esse post um membro de nossa equipe me reportou sobre um cliente querendo uma loja virtual de delivery no qual ele precisa receber a informação a seguinte informação no pedido “troco para quanto“. Afinal é comum no Delivery receber o dinheiro na hora de entrega e o cliente não ter o valor exato em dinheiro, sendo necessário levar o troco junto com o pedido.

Outro exemplo é um cliente nosso de Ecommerce para Floricultura que precisa do TELEFONE de quem vai receber o pedido. Assim a loja tenta ligar para a pessoa caso ninguém atenda o interfone ou porteiro não queira receber a encomenda. Prática muito importante nesse segmento para evitar o retorno da mercadoria, custo de frete com nova tentativa de entrega entre outros problemas! Comento isso porque esse campo não é padrão no cadastro de endereço de entrega na OpenCart, porém temos o módulo que permite incluir esse campo.

E esse é um dos diferenciais da OpenCart, que por ser OPEN SOURCE, possui milhares de módulos que tratam peculiaridades de lojas virtuais ao redor do mundo. Isso torna a evolução da sua loja virtual mais rápida e com melhor custo benefício para adequá-la ao seu segmento. Totalmente diferente das plataformas de aluguel que não permitem qualquer alteração, ou se permitem, podem custar caríssimo e levar bastante tempo.

Agora você já entendeu que certos tipos de produtos e negócios, por mais que vendam até para consumidores finais, podem ter suas particularidades e exigir que as plataformas sigam ao máximo essa cultura do segmento para evitar problemas e prejuízos para os lojistas.

Obrigado pela leitura e fique a vontade para comentar 🙂

Robots.txt avançado para OpenCart

Olá pessoal, hoje faremos uma contribuição do nosso arquivo de Robots.txt que usamos em nossas lojas virtuais com OpenCart. Por padrão a OpenCart permite que os buscadores como o Google indexem tudo o que eles encontrarem pela frente. Fato é que, devido a estrutura de parâmetros da OpenCart o Google vai identificar certas páginas e dizer que elas estão duplicadas.

Na OpenCart quando se passa um parâmetro na URL para uma busca, ou mesmo nos filtros e ordenação de produtos, essas páginas são interpretadas como DUPLICADAS pelo Google. Elas possuem o mesmo conteúdo na maioria das vezes e são acessíveis por URLS diferentes.

Outro caso são as páginas que não agregam informações para fins de BUSCA, mas o Google tenta indexá-las. Neste caso o ideal é bloquear o acesso dos bots a tais páginas.

Disponibilizamos abaixo o conteúdo do nosso arquivo robots.txt para você utilizar em sua loja virtual OpenCart e evitar estes problemas de conteúdos duplicados ou páginas sem valor de busca.

Robotx.txt avançado para OpenCart

User-agent: *
Disallow: /*?sort
Disallow: /*&sort
Disallow: /*?limit
Disallow: /*&limit
Disallow: /*?route=checkout
Disallow: /*?route=account
Disallow: /*?route=product/search
Disallow: /*&keyword
Disallow: /*?page=1
Disallow: /conta
Disallow: /historico-pedidos
Disallow: /lista-desejos
Disallow: /newsletter
Disallow: /downloads
Disallow: /?route=affiliate/account
Disallow: /?route=affiliate/payment
Disallow: /?route=affiliate/tracking
Disallow: /?route=affiliate/transaction
Disallow: /?route=affiliate/forgotten
Disallow: /?route=affiliate/register
Allow: /
Sitemap: /index.php?route=feed/google_sitemap

Note que alguns endereços acima são amigáveis como /downloads, /newsletters… adapte-os conforme as urls dessas páginas em sua loja virtual. Se você não tem um arquivo robots.txt ainda, basta abrir um bloco de notas e colar as instruções acima e salvar com este nome.

O arquivo robots.txt deve ficar na pasta raiz da sua loja virtual formando a url:
seudominio.com.br/robots.txt

Gostou? Tem alguma sugestão de bloqueio ou desbloqueio, comente!

 

Loja virtual Mobile-Friendly

Mais um termo do mundo do digital que veio para ficar! O Mobile-Friendly, assim como Search-Friendly há 3 anos atrás, é fruto de mais um grande movimento do gigante Google por uma internet mais moderna e prática para todos.

Afinal o que é Mobile-Friendly?

Mobile-Friendly é o nome que se dá ao conjunto de técnicas que visam tornar um site amigável para usuários que o acessam por meio de celulares e tablets.

Afinal é muito comum, principalmente no Brasil, navegar na internet pelo celular e se deparar com sites no qual você mal consegue ler ou mesmo clicar nos links e itens de menu.

Faz alguns anos que se começou o trabalho para adaptar melhor o visual dos sites para a utilização em dispositivos móveis. E tão logo o Google entendeu que a tecnologia amadureceu já anunciou um prazo em 26 de fevereiro para que todos os sites se adaptassem a nova técnica até o dia 21 de abril de 2015, conforme falamos aqui no post sobre o Google Mobilegeddon, 21 de abril de 2015 e demos mais detalhes sobre como saber se o seu site é ou não mobile-friendly.

 

Mobile-Friendly no Ecommerce

Se tratando de lojas virtuais o assunto fica ainda mais sério! Cerca de 30% a 50% dos acessos de muitas lojas virtuais já são provenientes de dispositivos móveis. Também sabemos a média de conversão do ecommerce é de 1% a 2%, ou seja, a cada 100 visitas uma venda é gerada.

Se sua loja não é mobile-friendly e começar a perder 30%, 40%, 50% do tráfego, fatalmente também perderá muitas vendas!

 

Loja Virtual Mobile-Friendly

Uma loja virtual Mobile-Friendly deve conter um conjunto mínimo de elementos para converter acessos de celulares em vendas, como por exemplo:

– Layout Responsive
– Menu e busca adequado para celulares e tablets
– Links e botões com tamanhos bons para serem facilmente clicados com os dedos
– Navegação de produtos por meio de rolagem horizontal
– Adaptação da tela do produto para fácil clique no botão comprar
– Carrinho de compras e checkout adaptado para celulares e tablets
– Meios de pagamentos integrados que também sejam mobile-friendly

Essa é apenas uma pequena lista de exemplos para você tentar identificar em sua loja virtual e saber se está pronto para vender para os consumidores que usam dispositivos móveis!

 

Crie a sua Loja Virtual Mobile-Friendly

A Brasil na Web trabalha com a criação de loja virtual Open Source e Mobile Friendly por meio da plataforma OpenCart versão Brasil na Web. E pra garantir que confiamos em nossa qualidade, você tem Instalação e 30 dias grátis para usar a vontade e se adaptar ao novo cenário mobile da internet.

 

Crie a sua loja virtual Mobile Friendly agora – 30 dias grátis

 

 

Google Mobilegeddon 21 de abril de 2015

Em 21 de abril de 2015, o Google lançou um novo algoritmo de classificação mobile-friendly tão significativa que é projetado para dar um impulso no posicionamento das páginas mais amigáveis a celulares e tablets.

A mudança, que levou cerca de uma semana para ser concluída e é tão significativa que ganhou o nome de Google Mobilegeddon pela equipe da Search Engine Land, mas às vezes é também referido como mobilepocalyse, mopocalypse ou mobocalypse.

Cerca de 30% a 50% do tráfego dos sites no Brasil já é realizado por meio de dispositivos móveis. Logo, se o seu site não é mobile-friendly ainda estará fadado a perder todo esse tráfego muito em breve. E de fato, aqui na BNW recebemos uma grande demanda de criação de sites e lojas virtuais mobile-friendly desde então. Sinal de que ninguém quer perder tráfego que geram vendas!

Afinal o que o Google quer com isso?

Desde 26 de fevereiro de 2015 o Google informou em seu Blog que faria a mudança, Finding more mobile-friendly search results. O Google está priorizando, nos resultados de pesquisas por celular, sites que estão devidamente estruturados para serem amigáveis a tais dispositivos, permitindo uma navegação e leitura de conteúdo de forma bem prática para os usuários.

 

Mas como sei se o meu site é Mobile-Friendly?

mobile-friendly-teste

Em resumo e de forma prática, se o seu site abre no celular da mesma forma que abre em um computador/desktop/notebook então ele não é mobile-friendly.

O ideal é que o layout do seu site seja RESPONSIVE, ou seja, se adapte conforme o dispositivo em que ele é aberto tornando a utilização muito mais prática como no exemplo validado acima.

Porém o Google elaborou uma ferramenta para realizar o devido teste!

Google Mobile Friendly Teste

 

Mas não é tudo, tem mais!

Ter o site com layout RESPONSIVE é o primeiro passo. A ferramenta de teste do Google irá validar basicamente isso. Contudo o Google vem dando grande importância para a VELOCIDADE de abertura dos sites há algum tempo e começará rebaixar sites lentos provavelmente muito em breve nas pesquisas por celular. Logo, investir na OTIMIZAÇÃO DE CARREGAMENTO do site e aplicar técnicas mais robustas é um passo tão importante quanto ter um site RESPONSIVE.

 

Não foi afetado ainda? Você tem sorte!

Temos lido notícias sobre testes um mês após a atualização do Google Mobilgeddon e para surpresa geral, ninguém apresentou estatísticas com perdas significativas AINDA. Eu acredito que o Google levará algum tempo (6 meses) para causar o devido impacto nas pesquisas por celular e mudar posicionamentos mais drasticamente, afinal todos sabem da cultura humana de aguardar até a última hora para entregar o imposto de renda ou para chegar a uma prova de vestibular.

Tem muita gente ainda no meio do caminho e querendo se adaptar. Seria muito severo mudar da água para o vinho num simples toque de botão.

Mas eu não ficaria acomodado ou achando que a bomba já explodiu e não te acertou. Seja experto! Se o seu site ainda não é mobile-friendly aproveite para começar a reformulá-lo, crie um novo do zero se for necessário. Aqui na BNW levamos 3 meses refazendo o nosso próprio site e migrando para a plataforma WordPress e repovoando todo o conteúdo que temos, entre muitos ajustes e melhorias.

O empreendedor inteligente que está no mundo digital e ainda não se adaptou, tem mais um prazo para pegar o bonde andando e não ficar pra trás.

Aproveitando, que tal criar a sua loja virtual Mobile-Friendly aqui na BNW com 30 dias de teste grátis? Te aguardamos!

Solicite um orçamento

 

 

 

NOVO DEMO – Loja Virtual para Agência de Carros

Se você tem ou pretende abrir uma Agência de Carros não pode deixar de ver como aplicamos o sistema e-commerce para criar uma loja virtual para agência de carros.

Neste segmento, geralmente a venda não vai ocorrer pela loja virtual, então aplicamos um módulo que faz com que os produtos não fiquem a venda e ao invés disso apareça um botão de “CONSULTE-NOS” que permite o interessado preencher o nome, email, telefone e enviar uma mensagem para a agência de carros!

O bacana que ao usar uma plataforma de e-commerce a agência de carros vai desfrutar de todo o poder de SEO do sistema, sem falar que pode adicionar módulos para integrar e divulgar os veículos no Google Shopping, Buscapé, Shopping Uol e quem sabe muito em breve aparece por ai um módulo para integrar com WebMotors e outros portais de veículos? Afinal todos eles trabalham com XML de feed de dados dos produtos, o que é totalmente possível de ser feito.

 

loja-virtual-agencia-de-carros-opencart

Recursos dessa Loja Virtual de Agência de Carros

– OpenCart versão Brasil na Web com dezenas de módulos e recursos adicionais
– Estilização visual das cores e posição de módulos na loja
– Banners personalizados com animação em HTML5
– Cadastro de produtos com atributos específicos do segmento
– Módulo de Filtro Avançado
– Módulo de Produto Sob Consulta

 

Gostou? Acesse o demo agora!

NOVO DEMO – Loja Virtual de Floricultura

Essa é para quem é dono ou pretende abrir uma Floricultura!

Muitas pessoas querem ver e usar um sistema de e-commerce para vender flores online antes de contratar. Então pegamos a nossa plataforma OpenCart versão Brasil na Web e criamos uma loja virtual de floricultura para demonstração!

A realidade é quase todas as floricultura vendem apenas em suas cidades e regiões mais próximas. Afinal, ter uma estrutura para vender flores para o Brasil todo é bem complexo e custoso, geralmente feito na base da “parceria” com outras floriculturas.

Então, é indispensável ter um módulo para fornecer os preços de entrega por bairro, igual muitas fazem hoje normalmente. Nesta loja demo aplicamos o módulo de frete por bairros desenvolvido pela Brasil na Web que conta ainda com o banco de dados de todos os bairros de todos os estados do Brasil. Mão na roda não é?

Temos vários clientes de Floricultura usando essa plataforma com vários módulos adicionais. Veja com ficou a loja de floricultura de demonstração!

 

loja-virtual-para-floricultura-opencart

Recursos dessa loja virtual de floricultura

– OpenCart versão Brasil na Web com dezenas de módulos e recursos adicionais
– Estilização visual das cores e posição de módulos na loja
– Banners personalizados com animação em HTML5
– Cadastro de produtos com campos personalizados e opções de escolha
– Módulo de Frete por Bairros
– Módulo de Busca Inteligente com auto completar

Gostou? Acesse o DEMO agora!

 

 

 

Resolver conteúdo duplicado do http vs https no Opencart

Olá Pessoal! Mais uma dica rápida pra resolver conteúdos duplicados em sua loja virtual com OpenCart. Em outro post eu falei sobre como resolver o conteúdo duplicado de páginas e títulos do OpenCart devido aos parâmetros de URL, se você não viu dê uma olhada.

Agora vou passar uma boa solução pra resolver o conteúdo duplicado que é tanto acessível por http quanto por https.

O PROBLEMA:

Relatórios do Google e demais ferramentas de SEO apontam que há páginas no seu site sendo consideradas duplicadas, uma versão com http e outra versão com https.

Um caso onde isso ocorre é quando você tem um certificado digital ssl em sua loja e alguns links do rodapé hora apontam para as páginas como http e hora apontam como https e eles precisam estar ali desse jeito mutante mesmo.

 

A SOLUÇÃO:

Bloquear o acesso dos bots às páginas com https por meio da meta tag robots > noindex, nofollow.

A premissa dessa solução no OpenCart é a de você ter implementado o HTTPS só nas áreas padrões e não na loja inteira! Ou seja na área de conta do cliente, carrinho , checkout e sistema administrativo. Então você pode criar um VQMOD com o seguinte código abaixo:

<?php
if (isset($_SERVER['HTTPS']) && strtolower($_SERVER['HTTPS']) == 'on') {
echo '<meta name="robots" content="noindex,follow" />'. "\n";
}
?>

Com isso o servidor vai incluir essa meta tag nas páginas da loja quando a url estiver em HTTPS. E assim esses conteúdos não serão indexados. Em vias de fato, esse conteúdo nunca deveria ser indexado mesmo, mas originalmente a opencart não impede essa indexação e esse método vai resolver esse conteúdo duplicado por http e https pra você!

DOWNLOAD DO VQMOD

Melhor, em breve vamos deixar esse VQMOD disponível para download gratuitamente na Loja BNW.

Prometo que volto aqui e coloco o link direto pra ele!

Existem mais alguns métodos onde encontrei essa solução neste site aqui, caso queira avaliá-los!

Obrigado pela visita, comente e volte sempre!

Resolver páginas e títulos duplicados no OpenCart

Olá pessoal hoje estou trazendo uma solução rápida debatida lá no fórum oficial da OpenCart que pode ser muito útil.

O PROBLEMA:

O Google e outras ferramentas estão acusando em relatórios que o seu site está com páginas ou títulos duplicados como por exemplo:

  • /Lenovo
  • /Lenovo?sort=pd.name&order=ASC
  • /Lenovo?sort=rating&order=ASC
  • /Lenovo?page=1
  • /Lenono??page=2

Entre outras variações de parâmetros de URL que a OpenCart possui. Você vai resolver isso agora rapidamente.

Solução:

Crie um arquivo chamado robots.txt com a seguinte instrução e coloque na raiz de instalação da sua loja virtual, geralmente na public_html:

User-agent: *
Disallow: /*?sort
Disallow: /*&sort
Disallow: /*?limit
Disallow: /*&limit
Disallow: /*?route=checkout
Disallow: /*?route=account
Disallow: /*?route=product/search
Disallow: /*&keyword
Disallow: /*?page=1
Allow: /

Pronto os bots vão parar de indexar estes parâmetros e resolver o problema no seu relatório de SEO!

Até a próxima!

Como abrir uma empresa MEI com loja virtual

Olá pessoal! Muitos empresários e empreendedores tem boas ideias para comercializar produtos e serviços pela internet, mas esbarram nas dúvidas sobre a formalização da empresa para andar na legalidade.

Então, hoje separei algumas cartilhas interessantes para você começar seus estudos de forma correta, planejando e conhecendo antes de sair fazendo!

 

O arquivo para download contém:

  • Relação de atividades enquadradas pelo MEI – Micro Empreendedor Individual – São mais de 490 atividades!
  • Cartilha para o Micro Empreendedor Individual – MEI – Sebrae
  • Cartilha sobre Micro Crédito para Micro Empreendedor Individual
  • Modelo e Guia para criação de Plano de Negócio – Sebrae

banner-criar-loja-30dias-gratis-330-330

FAZER DOWNLOAD DOS ARQUIVOS (16.2 Mb)

Download do Software de Plano de Negócios (28.1 mb)

Então,  agora você já pode verificar se a sua atividade se
enquadra no MEI, como ser um MEI
e como obter um crédito inicial para
começar o seu negócio!

De brinde, disponibilizamos também
o software gratuito do Sebrae para
Criação de Plano de Negócio!

Crédito Bancário Acessível para criação de loja virtual – Ecommerce

Essa última é bem interessante pois você pode planejar o seu negócio e fazer ele acontecer rapidamente por meio de um crédito bem planejado.

Por exemplo:

No Banco do Povo Paulista você pode obter créditos com até 90 dias para pagar, com valores entre R$ 200,00 à R$ 15.000,00, com taxa de juros de 0,5% ao mês. Muito provavelmente o seu negócio terá um rendimento superior a taxa de juros e assim, você quita rapidamente o crédito, sem mobilizar o seu capital pessoal! Afinal a loja virtual entra como infra estrutura do seu empreendimento, neste caso, virtual.

Banco do Povo Paulista:
Telefone: 11 3241-7302
contato@bancodopovo.sp.gov.br
www.bancodopovo.sp.gov.br

Há outros bancos também na cartilha!

banner-criar-loja-melhor-custo-beneficio-330-330

A Brasil na Web trabalhar com centenas de micro e pequenos empreendedores em todo o Brasil e está pronta para lhe ajudar
na jornada com o seu ecommerce.

FAZER DOWNLOAD DOS ARQUIVOS (16.2 Mb)

Download do Software de Plano de Negócios (28.1 mb)

  Espero ter ajudado! : )

 

Wendigo – Conheça a ameaça e proteja-se!

Os administradores de sistema estão sendo instruídos a verificar os seus servidores web para vários scripts de malware em Linux incluindo rootkit conhecido como Ebury SSH , como parte de uma operação que já infectou mais de 25.000 servidores nos últimos dois anos.

Ebury SSH está sendo usado como uma parte fundamental de uma operação grande e sofisticada chamado ” Wendigo ” descrito em detalhes pela ESET (PDF). Wendigo também inclui ferramentas backdoor HTTP Linux / Cdorked para redirecionar o tráfego web, e Perl / Calfbot , um script Perl usado para enviar spam.

Wendigo tem está rodando por ai desde 2011, e comprometeu uma ampla gama de sistemas operacionais, incluindo a Apple OS X, OpenBSD , FreeBSD, Microsoft Windows ( através Cygwin ) e Linux (incluindo Linux na arquitetura ARM ) .

De acordo com o governo alemão, a agência de pesquisa CERT -Bund , Ebury é um Shell rootkit / trojan backdoor seguro para sistemas operacionais Linux e Unix-style.

A CERT -Bund observa que o Ebury fornece um backdoor que os invasores podem usar para obter um acesso shell de root remoto em máquinas infectadas. O Ebury rouba credenciais de login do SSH de conexões entrada e saída. Sistemas infectados com Ebury estão comprometidos no nível de raiz (root) e a melhor solução até então é re-instalar o sistema operacional em vez de tentar limpá-lo.

Alguns antivírus são capazes de detectar Ebury, geralmente como ‘ SSHDoor ‘ ou ‘ Sshdkit ‘. No entanto, a ClamAV ou ferramentas como o chkrootkit ou rkhunter não detectam Ebury ainda.

A ESET observa o Wendigo podem infectar desde usuários finais do Windows que visitam sites legítimos hospedados em servidores comprometidos até operadores de servidores Linux / Unix cujos servidores foram comprometidos . Wendigo também é responsável pelo envio de uma média de 35 milhões de mensagens de spam por dia, e mais de 700 servidores web estão redirecionando os visitantes para o conteúdo malicioso, fazendo o ciclo se perpetuar.

Por isso na Brasil na Web sempre recomendamos a todos os nossos clientes que tenham um bom antivírus instalados em seus computadores.

A Brasil na Web utiliza e recomenda o antivírus ESET para proteger o seu mundo virtual.

Google amplia segurança no Gmail para combater espionagem da NSA

Google amplia sua segurança dando mais um passo em sua postura contra a espionagem da NSA prometendo usar uma conexão HTTPS criptografada cada vez que um usuário do Gmail verificar ou enviar um e-mail.

O Gmail aplicou a criptografia HTTPS por padrão em todo o serviço em 2010, mas este anúncio significa que ninguém seria capaz de ” ouvir ” as mensagens enquanto viajam de usuários para os servidores do Gmail.

No ano passado, surgiram relatos de que os pacotes de dados não criptografados que passavam através das ligações de fibra ótica entre os centros de dados privados poderiam ser interceptadas por espiões do governo , sem o conhecimento dos operadores de centros de dados,  permitindo que o governo o acessasse milhões de registros diariamente das redes internas do Yahoo e do Google. Para resolver isso, o Gmail agora criptografa mensagens movidas internamente, bem como elas se movem entre próprios Data Centers do Google.

Para os serviços em nuvem , incluindo e-mail , a segurança é uma grande preocupação do usuário . Os provedores de serviços estão em uma posição única para oferecer aos clientes segurança, e um novo estudo da Microsoft mostra que os usuários estão dispostos a pagar por isso. Segundo a Microsoft, 60 por cento dos clientes pagariam o seu fornecedor de serviço de hospedagem de um prêmio de 26 por cento , em média, por mais garantias de segurança.

No ano passado , o Gmail estava ficou no ar por 99,97 por cento do tempo, que registrou uma média de menos de 2 horas de interrupção para um usuário de todo o ano. No início desta semana , o Google Talk e Google+ caiu para cerca de 3 horas ao ficarem fora do ar.

A tecnologia de Autenticação Dupla ou “Two-factor authentication” está se tornando uma maneira preferida de assegurar os serviços on-line como e-mail, embora não seja perfeito. Recentemente, um novo site foi lançado para ajudar os usuários a determinar rapidamente quais serviços on-line usar a autenticação de dois fatores.

http://twofactorauth.org/

Se você procura por certificado digital SSL para ampliar a segurança do seu site e emails com HTTPS, consulte os certificados digitais da Brasil na Web – os melhores preços de certificado COMODO no Brasil!

 

Lengow Ecommerce Day São Paulo 2014 – Não perca!

Vem ai o Lengow Ecommerce Day – E-mergin Markets Brasil!

Este é evento dedicado ao e-commerce de alta performance que irá  acontecer nos dias 13 e 14 de março, em São Paulo.Em 2010 o E-merging Markets consolidou-se como o maior e mais bem sucedido encontro do e-commerce brasileiro, completando um ciclo de eventos organizados pela Latin Pacific em grandes mercados da América Latina.

São dois dias de imersão total com uma visão de 360 graus da realidade do e-commerce brasileiro para permitir aos profissionais do mercado como validar e otimizar as suas estratégias de vendas, o de lançamento no mercado e estabelecer novas parcerias, gerar novas oportunidades e acompanharem as tendências mundiais.

Alguns dos temas em pauta são: Gerenciamento de XML, Comparadores de preços, Marketplaces, Re-targeting, uso do RTB (Real Time Bidding) e Plataformas de e-commerce. Dentre eles destaca-se Jérémie Peiro, co-fundador da Lengow.

Lengow é um software SaaS (Software as a Service) que permite centralizar a gestão de todos os canais de marketing online, como comparadores de preços e marketplaces, em uma única plataforma.

As inscrições podem ser realizadas pelo:  http://www.eventbrite.pt/e/registo-e-merging-markets-brasil-6446486615?aff=es2&rank=5&sid=346e2d85a54911e38dd112313d091a6a 

Agenda Lengow – Ecommerce Day

Data: 13 de março de 2014
Horário: 
das 9:30 às 13:00
Local: Sala 2 do E-Merging Markets E-Commerce Summit – Frei Caneca Centro de Convenções – Rua Frei Caneca, 569 – Cerqueira César – São Paulo – SP.
Site: http://e-mergingmarkets.org/site/

 

Protocolo 21 sobre bitributação do ICMS para Ecommerces, é SUSPENSO

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, decidiu pela suspensão do Protocolo 21, do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), que trata da cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no e-commerce.

“Enquanto todos os países incentivam o comércio eletrônico, os estados do norte e do nordeste estão na contramão, desestimulando o negócio”, diz o tributarista Fernando C. Queiroz Neves, do Arruda Alvim & Thereza Alvim Advocacia. A crítica é feita ao Protocolo ICMS 21, de abril de 2011, no qual 19 estados e o Distrito Federal acordam que o estado de destino de mercadorias compradas pela internet, por exemplo, deve recolher ICMS (que é recolhido no estado de origem do produto).

Com o protocolo, Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima, Rondônia e Sergipe, Tocantins e o Distrito Federal estavam cobrando o tributo na entrada de produtos que se destinam ao consumidor final. Com isso, empresas de comércio eletrônico que vendem para outros estados passaram a ter três opções:

– recolher o imposto duas vezes,
– ficar com suas mercadorias apreendidas na fronteira do estado de destino
– ou fazer com que seus motoristas andem com liminares no bolso, com decisões judiciais que os permitem não recolher a tarifa até que sua constitucionalidade fosse decidida pelo Supremo Tribunal Federal, o que agora foi realizado.

Na decisão, o juiz Luiz Fux, entendeu que a cobrança feita no estado de origem e de destino do produto, imposta pelo Protocolo 21, se caracteriza como bitributação e, por isso, é inconstitucional. “O Protocolo ICMS nº 21/2011 ofende flagrantemente a Constituição, tanto do ponto de vista formal  quanto material. É dizer, o texto constitucional é claro o suficiente ao estabelecer as regras referentes à cobrança de ICMS, de modo que a tentativa de burlar esta sistemática constitucional pelos estados subscritores deve ser repudiada”, declarou.

Vitória para o E-commerce no Brasil! : ) 

 

 

Instalação do Certificado Digital SSL no cPanel & WHM

Instalação do Certificado Digital SSL no cPanel & WHM

Para instalar o seu certificado digital você precisa logar no seu CPANEL ou no WHM.

Instrução para cPanel
Instrução para WHM

O CPANEL (Painel de controle do cliente) e o WHM (Painel de controle do Host / Hospedagem) tem ligeiras diferenças na instalação dos certificado.

É preciso que o seu site / domínio esteja em um IP dedicado para fazer a instalação do SSL.

Nós enviaremos o certificado para você em um arquivo normalmente chamado “seu_dominio_com_br.crt” e também o arquivo “ca-bundle” que tem a extenção .ca-bundle.

 

INSTALAÇÃO DO CERTIFICADO PELO WHM

1) Login no WHM.
No menu a esquerda navegue até a seção “SSL/TLS” e clique em “Install a SSL Certificate and Setup the Domain”.

 


2) Abra o arquivo do certificado

(o arquivo seu_dominio_com_br.crt) em um editor de texto, selecione todo o conteúdo, copie e cole no primeiro campo.
Click no segundo botão “Fetch”, perto do campo destinado a chave (.key destacado em vermelho).

3) Isto irá capturar no servidor a sua chave privada, usuário, endereço IP e irá preencher os campos automaticamente para você.

4) Role a página para baixo até ver o campo com o nome “Paste the ca bundle here (optional)”.

Se o campo não for preenchido automaticamente na etapa anterior abra o arquivo “ca-bundle” que recebeu em um editor de texto, selecione e copie o conteúdo colando em seguida neste campo.

Click no botão “Submit”, e em um ou dois minutos a instalação do certificado será feita e o domínio será configurado automaticamente.

Caso não tenha recebido o arquivo “ca-bundle” veja as notas abaixo.

 

 

 

INSTALAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL PELO CPANEL

1) Faça login no seu CPANEL
Localize o menu “Security”, click em “SSL/TLS Manager”.


2) Click no botão “Certificates”.

Abra o arquivo do seu certificado (normalmente o nome do arquivo é “seu_dominio_com_br.crt”) em um editor de texto, copie o conteúdo e cole no box “Paste the crt below:”.
Se preferir você pode fazer o upload do arquivo .crt clicando no botão “Upload”.
Será feito o upload do certificado que então será instalado automaticamente.

 

Nota:
Se você não recebeu o arquivo “ca-bundle”, entre em contato suporte@brasilnaweb.com.br

Dicas de Marketing Digital para iniciantes e empreendedores

Olá pessoal! Neste post deixamos algumas dicas interessantes sobre Marketing Digital, na verdade uma forma de como encarar toda a coisa. Vamos lá!

• Considere a Internet como uma rede de pessoas não de computadores. Assim o pilar e o foco do site e demais ferramentas utilizadas deverá ser as pessoas. Para entender de internet é preciso entender de pessoas.

• A Internet é considerada uma ferramenta imprescindível, um guia, uma mola mestra. Não um complemento devido a modismo.

• Crie por meio da Internet um contato direto com o mercado, com as pessoas. Sendo assim a criação do site terá como foco o ser humano e o seu comportamento. Toda a construção do site terá como ponto de partida a pergunta: como o usuário perceberá e se comportará mediante apresentação, conteúdo, produto,etc? – A Brasil na Web te ajuda a responder essa pergunta!

ENCONTRABILIDADE: o usuário devera ter facilidade de encontrar o seu site e seus produtos – Estrutura do site, navegabilidade e usabilidade.

• A melhor maneira de encontrar o usuário é ser encontrado por ele. Resumindo: Estar no Google! Os sites produzidos pela Brasil na Web são projetados para ser interpretados pelos buscadores, mesmo com o sistema de gerenciamento de conteúdo CMS você não terá problemas, pois as plataformas que usamos para os sites são amigáveis aos buscadores.

• Considerar a simplicidade e exatidão: será apresentado ao usuário aquilo que é imprescindível. Não incluir na página aquilo que não auxiliar o usuário na sua navegação – É privilegiar nas páginas as informações necessárias para o objetivo do site, o que você pretende vender por exemplo, mas existem critérios nisso!

• USABILIDADE: O usuário precisa se sentir bem ao acessar ao site, como se estivesse em casa. – Visual deve ir de encontro com o sentimento que se deseja passar/transmitir.

• FLASH – Um site totalmente em FLASH impossibilita o conteúdo ser encontrado pelos buscadores, ele pode até ser interpretado de algumas formas, mas não aproveitará o máximo que você pode oferecer aos buscadores para ser pontuado por isso! Aconselhamos utilizar Flash para banners e topo do site apenas!

• CLIQUES: Títulos diferentes para gerar cliques, para aumentar pontos no Google. – Títulos são potenciômetro para o Google quando resumem diretamente os textos – muito importantes em cada página. No conceito da imprensa é a manchete do site que atrairá a atenção do leitor.

• Escolher palavra chave é uma arte. – evite palavras curtas demais e genéricas, quanto mais preciso o termo maior as possibilidades de conversão da visita em uma ação em seu site ou loja virtual.

• DESIGN: Brasileiros valorizam muito a beleza do site – gera credibilidade. Invista sempre que possível na diferenciação e um design bonito, na cara do seu negócio, mas sem estravagâncias, afinal o foco não é a beleza do site e sim converter esse visitante em um cliente – o foco é o seu negócio.

• CONTEÚDO: Importantíssimo. – Realmente deve ser bem elaborado pois:

• Precisa falar do usuário/cliente. Coloque a quantidade de informação necessária em cada página. Ao invés de falar o quanto é bom… mostre!

– Vídeos (mesmo que um pouco amadores) tem sido cada vez mais uma ferramenta importante neste momento da verdade. Linguagem dos textos e imagens também são importantes para auxiliar a interpretação por parte do leitor.

• Dar informações sobre o produto. Escrever de todas as formas possíveis e por meio de diversos canais sobre o que se faz. Aparecer cada vez mais por meio da Internet. – Mostre como o produto traz BENEFÍCIO, vantagens em seguida a suas características, tente traduzir o benefício em um sentimento percebido / mensurável e importante para o público-alvo. Existem técnicas para persuasão em sites e o cliente Brasil na Web tem acesso a este material!

• O site precisa ter informações relevantes sobre algum assunto, assim ele se torna referência para outro site. Falar de tudo um pouco é ser generalista, você não se aprofunda no que pode dizer e deixa de gerar novos conteúdos para internet. Os buscadores querem coisas originais e boas para destacarem nos resultados de suas buscas para ir de encontro com a pesquisa do internauta. Pense nisso quando for elaborar os seus textos e planejar as páginas do seu site! Lembre-se você é o que publica em seu site!

• Os 4 Ps do site (Mix Marketing): Palavra chave, Público alvo, Produto, Promoção, pense nisso quando elaborar o seu conteúdo.

• Quanto maior nossa presença na rede, mais confiáveis parecemos e seremos. – Conquiste links em outros sites e coloque informação em seu site de forma que você ganhe links em outros sites simplesmente por ofererecer um bom conteúdo e ser referência no assunto! – Escreva algo relevante e original. (Sites de empresas parceiras, de amigos, são algumas fontes para você começar a obter links! – Quanto mais links sem ganha de outros sites na internet, mais popular você é para os buscadores – Link Popularity – A Brasil na Web oferece serviços para obtenção de links de várias formas para turbinar a sua popularidade.

• 3 C´s: Comunidade, conteúdo e comércio. – Relação importante para geração de lucro com sites.

• Comunicação viral: tornar o consumidor um veículo do processo de divulgação. Não é simples, deve ser bem pensado, mas é realmente muito bom!

Este texto lhe ajudou a refletir sobre o seu negócio e como traduzí-lo em um site? Então comece a anotar suas idéias, contrate o seu projeto na Brasil na Web e coloque essas informações no GABARITO DE MATERIAL que lhe será enviado após a contratação do serviço 🙂

Inspiração para Logística de Ecommerce – Prime Air Amazon

 

Veja o conceito de logística de ecommerce para entrega de encomendas por meio aéreo utilizando Drones automatizados da Amazon!

O serviço se chama Prime Air e é apenas um conceito ainda, mas estamos loucos pra que se torne realidade logo!

Você está frente a uma nova revolução tecnológica, se não percebeu ainda, leia o restante desta matéria do Financial Times.

***

Rodney Brossart, dono de uma fazenda de 1.214 hectares em Dakota do Norte, é um definidor de tendências improvável. Em 2011, seis vacas de uma propriedade vizinha entraram em sua fazenda. Quando ele se recusou a devolver as vacas e impediu a entrada da lei em suas terras, a polícia solicitou um Predator (Drone – um veículo aéreo não tripulado) de uma base local da Força Aérea americana, que voou sobre sua fazenda para descobrir se Brossart estava armado.

No mês que vem, o fazendeiro será julgado por acusações de roubo, depois que uma corte rejeitou sua alegação de que ele foi submetido a uma “busca sem mandado”. Mas ele já fez história como o primeiro cidadão a ser preso em solo americano com a ajuda de um drone – como são chamados no setor os sistemas aéreos não tripulados.

Armados com mísseis Hellfire, os drones se tornaram o símbolo da guerra global dos Estados Unidos contra o terrorismo. Operar um drone no país exige uma licença especial cuja concessão é criteriosa. Porém, o Congresso decidiu que, a partir de 2015, os drones deverão ter acesso ao espaço aéreo doméstico. Para seus defensores, isso equivale à criação do automóvel ou da internet – uma tecnologia poderosa capaz de transformar dezenas de setores da economia e mudar a ideia de distância.

Eles veem os drones, com um valor de mercado potencial de US$ 12 bilhões até 2023, como a chegada da era da robótica. “É como o lançamento do computador na década de 80, está no mesmo patamar”, afirma Peter Singer, um acadêmico da Brookings Institution. “Ele apresenta muitos usos e aplicações diferentes, mas também levanta questões complexas.”

Para os críticos, o advento dos drones domésticos traz a ameaça de um novo tipo de vigilância – uma versão exagerada da espionagem conduzida pela tecnologia, dramatizada recentemente pelas revelações de Edward Snowden sobre a Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês). “A maior das ameaças à privacidade dos americanos é o drone, seu uso e as poucas regulamentações que existem hoje”, diz Dianne Feinstein, uma importante senadora pelo Partido Democrata.

Lembrete visceral

Os drones apresentam as mais diversas formas e tamanhos. Os Predators e os Global Hawks, operados pelos militares, são quase tão grandes quanto um caça. Por outro lado, o Nano Hummingbird da Aerovironment tem uma envergadura de 16 centímetros. A Harvard University está desenvolvendo um robô voador do tamanho de um inseto chamado Robobee.

Chris Anderson, ex-editor da revista “Wired” e que hoje comanda a 3D Robotics, uma companhia que fabrica pequenos drones, diz que o setor de certa forma é “um subproduto da revolução do smartphone”, que criou novas câmeras, sensores e dispositivos de localização que são ao mesmo tempo pequenos e baratos. “Os militares inventaram a internet, mas as pessoas a colonizaram”, diz ele. “Queremos desmilitarizar e democratizar os drones.”

Agências de aplicação da lei estão vendo os drones como uma alternativa muito mais barata aos helicópteros que elas usam em algumas operações. A polícia de Boston disse que gostaria de usar um drone para monitorar a rota da maratona da cidade depois que duas bombas explodiram na reta final da competição este ano.

Don Roby, um capitão da polícia de Baltimore e um dos maiores defensores dos drones, diz que a tecnologia poderia ser eficiente em operações de busca e resgate, para mapear cenários de crimes ou monitorar acidentes de trânsito. “Imagine que haja uma criança desaparecida em uma área pequena e confinada – esse é o tipo de coisa em que poderíamos usá-los”, diz ele. “Comparado aos helicópteros, estamos falando de centavos de dólar para operar.”

Entre as possíveis aplicações comerciais, a indústria do transporte de cargas é um dos candidatos óbvios. Nos últimos 18 meses, os fuzileiros navais americanos vêm usando um helicóptero não tripulado chamado K-Max para transportar cargas de até 2,7 mil quilos pelo Afeganistão, que despertou a atenção de empresas de logística como a FedEx e a UPS.

A Matternet, uma companhia iniciante, quer usar os drones para entregar medicamentos e outros bens essenciais em locais com infraestrutura rodoviária ruim. Os drones podem ser usados para detectar plantações ilegais de maconha, mas também poderiam dar um jeito na larica: entre os planos de negócios já propostos, está o de minidrones para entrega de burritos e tacos para estudantes.

Mas antes dessas ideias ganharem força, intensas preocupações políticas são despertadas com o impacto dos drones sobre a privacidade e o obstáculo previsto na Quarta Emenda da constituição americana, sobre “buscas e apreensões desmedidas”. Após as revelações de Snowden, aumentaram as preocupações com os riscos à privacidade representados pela vigilância do Estado.

Os drones domésticos levantam muitas dúvidas sobre quando e onde o Estado pode monitorar as pessoas e como as informações são usadas. “Os drones aglutinam vários tipos de medos quanto a mudanças tecnológicas reais”, diz Daniel Rothenberg, especialista em direitos humanos da Arizona State University. “Não aconteceu até agora, mas há potencial para intrusões profundas, escandalosas”.

Os partidários dos drones dizem que houve o mesmo tipo de preocupação quando helicópteros e aviões pequenos foram usados pela primeira vez em áreas urbanas e que os abusos temidos por defensores da privacidade nunca se materializaram. Muitos Estados já têm leis contra assédio que poderiam ser aplicadas aos drones.

Executivos do setor dizem acreditar que os drones ganham mais visibilidade entre muitas formas de vigilância. “Nesta manhã, passei por 32 semáforos e 19 bancos, cada um provavelmente com uma câmera. Tenho GPS em meu carro e Bluetooth em meu telefone”, diz Michael Toscano, presidente da AUVSI, o grupo lobista das empresas de drones. “Não é preciso um drone para rastrear meu paradeiro”.

Alguns dos avanços tecnológicos em torno aos drones tornam as preocupações mais prementes. A Boeing desenvolve um drone, alimentado por painéis solares, que a empresa espera ter capacidade para ficar no ar por cinco anos. A BAE Systems desenvolveu um avião que opera com câmera de 1,8 bilhão de megapixels e pode filmar uma cidade média. A 5,3 mil metros de altitude, poderá detectar um objeto de 15 centímetros de largura.

Essas tecnologias ainda estão em fase experimental, mas demonstram o potencial para que os drones façam da vigilância permanente uma realidade. “Os drones são um lembrete muito mais visceral da situação de vigilância do que qualquer coisa que a NSA esteja fazendo”, diz Ruan Calo, especialista jurídico em questões de privacidade na University of Washington.

Danos e doenças

Os dois lados do debate sobre os drones e a privacidade esperam que uma enxurrada de casos chegue à Corte Suprema nos próximos anos. Em geral, a corte vem julgando que a política de vigilância pelo ar não infringe a expectativa razoável de privacidade do cidadão. Em 2001, no entanto, a corte determinou que a polícia não podia usar equipamentos de imagens por calor em aviões pequenos para monitorar uma casa sob suspeita de plantio de maconha. Em 2012, a corte determinou que a polícia havia se excedido ao colocar um GPS no carro de um suspeito.

Para os defensores da privacidade, uma das questões mais complicadas seria o uso de drones por empresas privadas que vendem dados. Mesmo se regras rigorosas fossem aprovadas para reger as forças da lei, essas normas não se aplicariam a empresas que não estão sujeitas à Quarta Emenda.

Da mesma forma que o Google sabe mais sobre mais pessoas do que a NSA poderia sonhar, operadoras de drones privados poderiam monitorar e coletar informações de maneiras que o Estado não teria permissão. Os clientes desses dados poderiam ser agências do governo, mas também detetives particulares ou jornais sensacionalistas. “Qualquer restrição sobre a vigilância pelo governo não valerá nada se o governo simplesmente puder comprar a mesma informação de um grupo privado”, diz Catherine Crump, advogada da American Civil Liberties Union (Aclu), que já trabalhou na defesa do direito de que cidadãos tirem fotos em lugares públicos.

Já há debates consideráveis na esfera estadual sobre os drones. Mesmo antes do vazamento de informações por Snowden, 42 Estados haviam estudado leis sobre os drones e o interesse sobre o assunto deverá crescer. A polícia de Seattle desistiu de planos para usar dois drones em missões de busca e resgate após a oposição pública.

Da mesma forma que no debate sobre a NSA, a oposição a drones vem unindo estranhos companheiros, desde a direita libertária até a esquerda favorável às liberdades civis – um novo segmento político que une críticos ao “establishment”. A lei antidrone mais estrita foi aprovada na Virgínia, que instituiu uma moratória de dois anos em qualquer uso de seu espaço aéreo. O autor foi Todd Gilbert, um republicano conservador, acusado pela Aclu de intolerância contra os homossexuais. Quando chegou a hora de votar o projeto de lei antidrone, no entanto, Gilbert e a Aclu de Virgínia trabalharam juntos.

Tendo em vista o emaranhado de questões jurídicas diante das empresas de drones, alguns executivos dizem que, por agora, a maior demanda pelos aparelhos virá da agricultura. À medida que as fazendas ficam maiores, os drones poderiam monitorar as colheitas em busca de doenças ou danos, permitindo aos agricultores serem mais seletivos no uso de pesticidas e na irrigação. Pesquisadores desenvolvem sensores para identificar doenças em vinhas antes de atingirem as frutas. As fábricas de drones preveem que os agricultores responderão por 80% das vendas nos EUA dentro de dez anos.

“Quem iria reclamar de agricultores sobrevoando seus próprios campos?”, pergunta Steven Gitlin, executivo da Aerovironment, cujos pequenos drones que podem ser usados na agricultura.

***

Geoff Dyrer, do Financial Times, em Washington – fonte

Gostou? Comente! 🙂