All posts by Thaís Pacheco

Como melhorar a experiência do cliente no E-commerce?

Experiência do Cliente

Melhorar a experiência do cliente no e commerce pode representar um aumento expressivo das vendas de uma loja virtual.

 

Por isso, é preciso estar atento às técnicas para se melhorar a experiência do usuário no processo de compras online, o que vai envolver pontos de interação do usuário com a marca em vários momentos como: acesso à loja virtual, o atendimento e o pós-venda. 

 

Quanto mais fácil for acessar o site e quanto mais encantado este cliente estiver, maiores as chances dele fechar a compra contigo. 

 

Uma experiência de compra inesquecível pode representar um cliente fidelizado que além de comprar novamente, ainda vai indicar sua marca para outras pessoas. 

 

Quer descobrir como melhorar a experiência do cliente no seu e-commerce? Então continue a leitura e confira este conteúdo que preparamos para você!

 

Experiência do cliente: o que é?

A Experiência do Cliente, ou Customer Experience (CX), nada mais é do que o conjunto de sensações, percepções e vivências que o consumidor tem da sua marca durante todas as etapas do seu processo de compra,  ou seja, é a percepção do cliente durante: acesso a sua loja virtual,  o atendimento com o seu time -seja via whats app, chat, telefone, ou redes sociais –  durante a compra ou após as compras, o pós venda, a forma como ele recebe o produto em casa. 

 

A experiência do cliente é a grande diferença entre o sucesso e o fracasso de qualquer negócio. Não importa o segmento, local, ou se é físico ou online. Uma experiência positiva eleva sua marca a outro patamar, enquanto a negativa arruína todas as suas possibilidades de crescimento.

Experiência do cliente: Quando ela é considerada boa e porque é importante?

O processo de compra online precisa ser simples, fácil, rápido e satisfatório. Do contrário, o usuário pode simplesmente sair da sua loja virtual e acessar a loja dos seus concorrentes. E, não queremos isso!

 

De forma objetiva, podemos dizer que a experiência do cliente é considerada boa quando após visitar o seu e-commerce e interagir com a sua marca o consumidor se sente satisfeito e com o desejo de retornar.

 

Se um potencial cliente entra na sua loja e se sente perdido por procurar informações importantes no seu e-commerce e não encontrar, ter que preencher formulários extensos, não ver os valores dos produtos, ter dificuldades para entender e/ou para acessar o menu de páginas, pode ter certeza que ele vai abandonar o seu ecommerce. 

 

Veja alguns dados divulgados pela American Express sobre a relevância da experiência do cliente:

 

  • 3 entre 10 consumidores procuram um novo e-commerce para comprar depois de apenas uma experiência ruim;

 

  • 5 de 10 não voltariam a fazer compras em um e-commerce depois ter uma experiência ruim;

 

  • 7 de 10 consumidores gastam mais em uma loja que tem um bom atendimento ao cliente.

Experiência do cliente: Como melhorar?

Melhorar a experiência do cliente envolve primeiramente se colocar no lugar do seu consumidor. Ele precisa entrar na loja e saber que passos deve fazer para conseguir efetuar uma compra.

 

Se faça a seguinte pergunta:

Se você fosse seu cliente e precisasse comprar algo do seu e-commerce, ficaria satisfeito ou insatisfeito ao acessar o site e navegar nele? É fácil comprar? É fácil achar os produtos?

 

Se a resposta for positiva é provável que os seus clientes estejam tendo uma experiência agradável.  Agora, se você identificou que algum processo poderia ser mais fácil e não foi, então há um problema que precisa ser solucionado.

 

Abaixo, listamos alguns itens que merecem atenção especial para melhorar a experiência do usuário no seu e-commerce.

Experiência do cliente no e-commerce: 7 pontos que exigem atenção

Veja os principais pontos que ao receberem a atenção devida auxiliam a melhorar a experiência do cliente:

 

| Design 

O ditado popular de que “a primeira impressão é a que fica” é uma realidade. Um e-commerce que apresenta uma aparência agradável, com cores que favorecem uma melhor visualização e uma fonte confortável para a leitura contribuem para uma experiência do cliente positiva.

 

Os banners devem ser impecáveis, são eles que serão visualizado primeiro  ao entrar na sua loja virtual. Use imagens que mostre bem o que quer vender, junto com uma frase de impacto e um botão de ação: saia ais compra agora, eu quero, etc.

 

| Usabilidade

Experimente navegar pelo site da sua loja virtual e conferir se a acessibilidade dele é simples e fluída, se os recursos funcionam e se as páginas carregam rápido. Praticidade e agilidade também fazem parte de uma experiência do cliente positiva.

 

Faça uma compra de teste. Navegue pelos produtos, veja como está a página do produto, a página do checkout e a página de sucesso da compra.  Elas precisam estar fáceis de entender, agradáveis ao olhar. e tranquilas para navegar.

 

| Auto Atendimento

Entrar em um produto e achar todas as informações necessárias aumenta a probabilidade de compra. Muitas vezes um potencial cliente deixa de fazer uma compra por não encontrar as informações que precisa. Isso vai variar de nicho para nicho.

Em uma loja de moda feminina, por exemplo, é crucial ter o tamanho das roupas, as medidas da modelo, informações sobre o tecido, fotos de frente e costas. 

 

Já em um ecommerce de produtos naturais, inserir informações sobre o uso do produto, a tabela nutricional, e componentes (para evitar que algum alérgico compre por engano) são primordiais. 

 

| Versão Mobile

Disponibilizar a versão mobile para os seus clientes é obrigatório! A maior parte das pessoas compram usando um smartphone. Por isso, sempre teste os banners e funcionalidades pelo celular também, isso vai evitar a evasão quando eles acessam o site da marca através do celular.

 

Veja esse post se você tem uma loja virtual Brasil na Web:

5 Dicas para melhorar o Mobile da sua loja Virtual

 

| Conhecimento

Exatamente! Quanto mais você conhece o seu público, mais fácil fica de agradá-lo. Por exemplo: quais os canais de atendimento que ele prefere?

 

De acordo com uma pesquisa realizada pela Zendesk, 38% dos consumidores afirmaram que não conseguir falar com o atendimento ao cliente por meio do seu canal preferido contribui para uma experiência ruim. E 32% disseram que ter várias opções de comunicação faz parte de uma boa experiência, tanto que 49% gostariam de mais opções para entrar em contato com o atendimento ao cliente.

 

| Preferência de atendimento

Nunca despreze as preferências dos seus clientes. Se eles preferem se comunicar via WhatsApp, faça isso. Além de melhorar a experiência do cliente, compreender o que agrada mais os seus consumidores também ajuda na tomada de decisão de diversas estratégias, como as campanhas de marketing e redes sociais.

 

| Canais de comunicação
Invista em uma estratégia omnichannel. Isso significa oferecer diferentes opções de atendimento ao cliente que “conversam” entre si, garantindo que essa comunicação seja fluida e livre de interrupções.

 

| Pós venda
Ofereça uma boa experiência pós venda. Envie uma mensagem perguntando se o cliente recebeu a compra e ficou satisfeito. Dê dicas de uso ou conservação deste produto. 

 

| Humanização

Segundo uma pesquisa da McKinsey, 70% das experiências de compra têm como principal influência a forma como o consumidor sente que está sendo tratado pela empresa. Logo, humanizar o relacionamento com os clientes é um ponto crucial para uma experiência do cliente ser bem sucedida. 

 

Lembre-se, quando um cliente tem uma experiência única e inesquecível com o seu e-commerce, a sua marca fica na memória dele. Isso não somente faz com que ele se conecte ao seu negócio e retorne outras vezes, como também influencie outras pessoas a conhecer seus serviços e produtos, tornando-se um propagador do seu negócio!

 

Agora que você já aprendeu um pouco sobre a usabilidade, que tal fazer um teste e melhorar a experiência do usuário em sua loja virtual?

Se ainda se sentir perdido e quiser a avaliação de um profissional é possível contratar uma consultoria para ver os pontos de melhoria de Usabilidade da sua loja virtual.  Exclusivo para clientes Brasil na Web.

KPIs para E-commerce: Métricas vitais para acompanhar diariamente

Para saber se o seu e-commerce está no caminho certo é crucial acompanhar algumas métricas para tomar as melhores decisões. Estas métricas chamamos de KPI’s – Key Performance Indicators que, quando traduzida para o português, quer dizer Indicadores-chave de performance. 

 

Pensando nisso, listamos os principais KPIs de E-commerce para você mensurar os seus resultados diariamente. Acompanhe!

Como definir os KPIs para o e-commerce?

De certa forma, todo e-commerce tem por objetivo vender. Mas, dependendo do estágio do negócio, algumas KPI ‘s serão mais relevantes que outras. 

 

Por isso, para estipular os KPIs de e-commerce, primeiramente você precisa analisar e definir qual o seu objetivo principal, juntamente com o setor de atuação e quais são os escopos a curto, médio e longo prazo. Essa etapa é fundamental para que você saiba exatamente o que deve monitorar.

 

Quais são os principais KPIs de e-commerce?

Listamos as principais KPI’s que você deve acompanhar na sua loja virtual: 

1 | Ticket médio

O Ticket médio é um dos KPIs de e-commerce que revela o valor médio que um cliente investe  em produtos ou serviços em uma única compra na sua empresa. Sempre que se fala em Ticket médio no e-commerce, estamos nos referindo ao valor em pedidos captados divididos pelo número total de pedidos realizados dentro de um determinado período.

 

É importante acompanhar o ticket médio a cada mês para saber se ele está se mantendo, diminuindo ou aumentando.

 

Quanto maior for o ticket médio, mais rápido seu ecommerce atingirá a meta de faturamento.

 

A fórmula do ticket médio é: 

 

Ticket Médio Mensal = Receita do Mês / Nº de Clientes do Mês

[ Saiba como aumentar o ticket médio neste post: Como Aumentar o Ticket Médio no Ecommerce]


2 | Quebra de Pagamento e Taxa de Aprovação

Bater a meta de pedidos realizados na loja é fantástico, mas nem sempre todas as pessoas que fazem um pedido na loja fazem o pagamento deste pedido. 

A relação entre pedidos feitos (captados) e não pagos chamamos de quebra de pagamento. Quanto menor melhor.

A fórmula da quebra de pagamento é:

 

Quebra de pagamento = (pedidos não pagos / pedidos captados) . 100

 

Deve-se acompanhar esta métrica ao menos uma vez ao mês. Quanto menor for a taxa de aprovação de pedidos, melhor.   

 

Já a relação entre os pedidos captados e pedidos faturados (pagos) chamamos de taxa de aprovação de pedidos.

A fórmula para calcular a taxa de aprovação de pedidos é:

 

Taxa de aprovação de pedidos = (pedidos faturados / pedidos captados) x 100

 

É importante acompanhar esta métrica ao menos uma vez ao mês. Quanto maior for a taxa de aprovação de pedidos, melhor para a saúde do seu ecommerce.   

 

3| Taxa de conversão

A taxa de conversão se refere à proporção de vendas realizadas em relação ao número de visitas recebidas pelo site em um determinado período de tempo. Quanto maior for esta métrica, melhor. A taxa de conversão considerada boa em um um e-commerce brasileiro é em torno de 1%. Isso quer dizer que a cada 100 pessoas que visitarem o site, 1 deveria fazer uma compra.

 

A fórmula da taxa de conversão é: 

Taxa de Conversão = (Número de visitas da loja / Nº de Visitantes) x 100

[Leia também: Como atrair clientes para o e-commerce]

4 | Taxa de carrinho abandonado

Aponta o percentual de pessoas que encheram o carrinho mas saíram da sua loja virtual antes de finalizar a compra. Essa taxa influencia diretamente na sua taxa de conversão.

 

Esta  é a fórmula da métrica taxa de abandono de carrinho:

Taxa de abandono de carrinho = (quantidade de visitantes que não completaram o checkout / quantidade de pessoas que iniciaram o checkout) x 100

 

5 | Taxa de rejeição

Mostra o percentual de visitantes que acessaram o seu site mas saíram sem realizar nenhuma interação, ou seja, sem clicar em nada. Sempre que este número estiver muito elevado é necessário investigar os possíveis motivos que estão fazendo com que os usuários não estejam engajados com a sua loja virtual. 

 

Você pode acompanhar esta métrica acessando o Google Analytics. 

 

6 | Retorno sobre investimento (ROI)

ROI é um dos KPIs de e-commerce muito importantes para um negócio. Como o seu próprio título sugere, indica qual é o retorno (resultados e lucros obtidos) sobre o investimento feito. Simplificando: Ela mostra exatamente quanto sobrou de lucro na sua loja virtual após remover todos os custos reais.

 

Esta é a fórmula da métrica ROI:

 

ROI = Receita / Custo do Investimento

 

7 | Retorno sobre Gastos com Anúncios (ROAS)

ROAS vem do inglês Return on Advertising Spend e quer dizer Retorno sobre Gastos com Anúncios ou Retorno sobre Ativos. Essa métrica mede a receita em comparação ao gasto com campanhas de anúncios.

 

Ou seja, é uma métrica que ajuda a identificar se você teve prejuízo ou lucro com suas campanhas. 

 

Esta é a fórmula da métrica ROAS:

 

ROAS = Receita Proveniente da Mídia / Custo do Investimento

 

8 | Custo de aquisição de cliente (CAC)

Esse é um dos KPIs de e-commerce que mostra quanto a sua loja virtual teve que pagar para conquistar um novo consumidor, em um determinado período de tempo. É importante destacar que em hipótese alguma o CAC pode ser maior que o seu ticket médio, pois o investimento para atrair um novo cliente não deve ser mais elevado que o quanto ele consome na sua loja.

9 | Valor do Tempo de Vida do Cliente (LTV)

Lifetime value (LTV), ou valor do tempo de vida do cliente, é um dos KPIs de e-commerce que tem como intuito medir o quanto um cliente consome na sua loja virtual ao decorrer da vida dele.

 

Tem dúvidas sobre os KPIs de e-commerce? Interaja conosco e deixe a sua pergunta!

Como atrair clientes no E-commerce?

Como atrair clientes no E-commerce

Quem pensa que para atrair clientes no e-commerce basta apenas colocar os seus produtos no ar, está equivocado. Primeiramente é preciso entender que quando se abre uma loja virtual e não se investe em determinadas estratégias de divulgação é o mesmo que abrir uma loja física num bairro afastado da cidade com zero movimento.

 

E o que isso significa? Que por mais que a sua loja virtual esteja na internet é necessário saber atrair clientes, pois, assim como no exemplo que citamos acima, se você não fizer isso ninguém vai encontrar a sua loja, nem conhecer seus produtos ou serviços, e menos, ainda comprá-los.

 

De acordo com uma pesquisa realizada pelo PayPal, o número de lojas virtuais no Brasil saltou de 930 mil em agosto de 2019 para 1,3 milhão em agosto de 2020. Quase metade são pequenos negócios. Assim, o e-commerce superou a marca de 1,3 milhão de sites, impulsionado pela pandemia que fez com que empreendedores recorressem à internet para continuar vendendo ou gerar novas fontes de renda.

 

Além disso, o crescimento do setor também é indicado pela maior fatia do e-commerce em relação ao total de sites brasileiros. As lojas virtuais já representam 8,48% dos sites – há cinco anos, esse número era de apenas 2,65%.

 

Mas como se destacar e atrair clientes em meio a tantas lojas virtuais? Descubra neste conteúdo que preparamos para você!

5 formas de atrair clientes 

1| Use e abuse das redes sociais

Ainda conforme o estudo divulgado pelo PayPal, as mídias sociais são adotadas por 68,63% do e-commerce para divulgar seus produtos e interagir com clientes.

 

  • 54,18% utilizam o Facebook;
  • 39,87% estão no YouTube;
  • 30,45% no Twitter;
  • 21,16% no Instagram;
  • 4,81% no Pinterest.

 

Então, um dos passos que você pode dar para começar a divulgar seu e-commerce e atrair clientes é usar as redes sociais. Podemos dizer que elas são as ferramentas mais baratas e acessíveis especialmente para quem está começando.

 

O Instagram, por exemplo, é uma excelente vitrine para a sua loja virtual, uma vez que é possível transformá-lo em um verdadeiro catálogo online, principalmente com a funcionalidade de marcar produtos nas fotos. A pessoa clica em cima do seu produto e já consegue ver o preço e até mesmo adquirir seu produto direto pelo próprio Instagram.

 

Funcionalidade essa que você precisa utilizar para atrair clientes tanto no Instagram quanto no Facebook, Tik Tok, WhatsApp e demais redes sociais.

 

Uma excelente forma de atrair clientes utilizando as redes sociais é criando conteúdos úteis para o seu público, com dicas, mostrando como são os seus produtos e quais as soluções eles tem a oferecer para os seus potenciais clientes. Saber interagir com os seus seguidores e estabelecer um relacionamento com eles também é de extrema importância, afinal, quem não gosta de conhecer uma loja incrível e ser super bem tratado?

2 | Aposte no e-mail marketing

Essa é umas das estratégias com maior retorno sobre o investimento da internet para atrair clientes. Uma pesquisa realizada pela Campaign Monitor, apontou que um e-mail marketing é quarenta vezes mais efetivo para a aquisição de novos clientes do que as redes sociais.

 

A ideia de apostar no e-mail marketing segue o mesmo caminho das redes sociais, onde a intenção não é sobrecarregar as pessoas com inúmeras mensagens, mas sim uma forma de se relacionar, de atualizar e se comunicar com o seu cliente. E claro, vender também. Não podemos ser hipócritas de dizer que ao querer atrair clientes não estamos pensando em aumentar as vendas porque seria uma mentira.

 

O e-mail é ótimo para atrair clientes uma vez que transmite credibilidade. Já reparou que diversas lojas, bancos e instituições usam o e-mail para praticamente tudo? Desde a confirmação de uma compra até o envio da nota fiscal, todos os processos sérios são feitos via e-mail. Dessa forma, o e-mail marketing é uma poderosa ferramenta para atrair clientes para o seu e-commerce.

3 | Otimize as suas páginas

Outra estratégia que a sua loja virtual precisa usar para atrair clientes é otimizar as páginas do seu e-commerce utilizando o SEO. O SEO quer dizer “Otimização para Motores de Busca”. É você otimizar as páginas do site para que o Google e outros buscadores encontrem o site do seu e-commerce e o recomendem nos resultados das buscas.

Aqui na Brasil na Web temos vários artigos e também temos um treinamento sobre como otimizar a loja virtual para ser encontrada no Google.  

Link do treinamento: Seo para E-commerce

 

Vamos a um exemplo: Imagine que você tem uma loja virtual que vende produtos eróticos (Sex Shop online). Como poderia otimizá-la? 

 

A primeira coisa é inserir algumas vezes de forma coerente, os nomes dos seus produtos de maior relevância dentro do conteúdo da página. Lembre-se de inserir palavras chave no título h1, h2, e o título da aba do navegador também.

 

Ficaria assim: “Em nossa loja temos diversos sex toys para ajudar você a sair da rotina e esquentar o clima. Os sex toys aumentam o prazer de ambos no sexo e contribuem para que as mulheres tenham orgasmos. E falando nisso, você sabia que metade das brasileiras não atinge orgasmo nas relações sexuais? Por isso os sex toys são tão procurados, uma vez que estimulam diretamente o clitóris dando a ele toda a atenção que merece’.

 

Notou que usei algumas vezes a palavra sex toys (brinquedos sexuais) dentro de contexto? Isso é importante. Você otimiza a sua página com palavras-chave que deseja ranquear nos buscadores.


Outra iniciativa importante é inserir nesta página imagens desses sex toys, vídeos e depoimentos de clientes que compraram os produtos. Quanto mais conteúdo você tiver, melhor para atrair clientes, porque o Google vê isso como um diferencial do seu site.

4 | Use gatilhos mentais

Os gatilhos mentais são formas de criar reações na cabeça do consumidor. E essas reações psicológicas são responsáveis por ativar no cérebro dos clientes algumas ações e comportamentos que você gostaria que ele tomasse. Por exemplo, uma sensação de urgência, necessidade, empatia, escassez, entre outras que vão atrair clientes e estimular a compra.

 

Eles também ajudam a tornar as suas estratégias, textos, campanhas e o marketing de modo geral mais persuasivo, uma vez que provocam sensações, trazem problemas que precisam de soluções — soluções que estão, muitas vezes, no produto ou serviço que você oferece. Sendo assim, a importância dos gatilhos mentais está justamente em conseguir persuadir e levar o consumidor a tomar uma decisão, como por exemplo: acessar um site, abrir um e-mail marketing, participar de alguma promoção, clicar em algum link, interagir com a sua marca, e muito mais.

5 | Fidelize seus clientes

Segundo Philip Kotler,  “A melhor propaganda é feita por clientes satisfeitos.”

Por isso, quando você se preocupa em fidelizar seus clientes antigos e faz com que eles se sintam importantes e felizes, automaticamente eles fazem questão de indicar a sua loja virtual para outras pessoas. Logo, se tornam uma poderosa arma para atrair clientes para seu e-commerce.

Essas são apenas algumas das inúmeras técnicas utilizadas para atrair clientes. Não deixe para amanhã as estratégias que você pode aplicar hoje.

Blog para e-commerce: Vale a pena investir nessa estratégia?

blog para e-commerce

Será que criar um blog para e-commerce é uma boa estratégia para o seu negócio? 

 

Vamos direto ao ponto: SIM. Criar um blog para e-commerce dentro da sua loja virtual é uma excelente estratégia para atrair mais pessoas para o seu site e consequentemente aumentar as suas vendas. 

 

Quando se trata de um blog para e-commerce, estamos falando de um espaço dedicado exclusivamente à sua marca com o propósito de compartilhar conhecimento e gerar empatia. Neste local é possível divulgar todas as informações que o seu negócio julgar pertinente para que os seus consumidores ou potenciais clientes saibam cada vez mais sobre a sua loja, produtos ou serviços.

 

Através deste canal a principal estratégia utilizada é desenvolver diversos conteúdos com o intuito de conversar com a sua audiência.

A importância do blog para e-commerce

Num mercado onde a competitividade é extremamente elevada, constantemente se vê empresas buscando novas formas de se destacar e aumentar as vendas. E com as lojas virtuais não poderia ser diferente. Assim, o marketing de conteúdo, uma estratégia de baixo custo e alta eficácia, se mostra um excelente investimento. 

Dessa forma, o blog para e-commerce é uma das principais ferramentas utilizadas no universo do marketing digital para que as lojas online consigam ganhar maior visibilidade na internet e consequentemente se tornem autoridade no que diz respeito ao segmento em que atuam. Isso é possível porque através do blog para e-commerce os conteúdos contribuem para que o site da loja seja melhor ranqueado nas pesquisas em buscadores como o Google.

 

 Portanto, quanto melhor for o seu planejamento de conteúdo e qualidade dos materiais publicados, maiores as chances das suas páginas serem encontradas nos mecanismos de busca, aumentando então a taxa de cliques orgânicos no seu site.

 

Como o blog para e-commerce pode potencializar seu negócio

De acordo com uma pesquisa da Content Trends 2018, o blog para e-commerce é uma das principais ferramentas de marketing de conteúdo para alavancar as vendas das lojas online, e atualmente é utilizado por 43,2% dos e-commerces.

 

Ainda conforme o estudo, investir em um blog traz 2,6 vezes mais visitas a um site. Por isso, 73% das empresas afirmam usar essa estratégia.

 

Pensando nisso, listamos alguns benefícios, entre tantos, que o blog para e-commerce proporciona ao seu negócio. Vamos lá?

Aumenta a credibilidade do seu E-commerce

Normalmente, antes de efetuar uma compra os clientes costumam realizar pesquisas tanto sobre as empresas quanto sobre os produtos ou serviços que estão interessados. Então quando o blog para e-commerce oferece conteúdos atraentes e relevantes para essas pessoas, automaticamente elas passam a confiar mais no seu negócio mesmo antes de se tornar seu cliente.

Torna seu negócio uma autoridade no mercado

A autoridade está intimamente relacionada ao item que citamos acima. Quanto mais as pessoas acessarem os conteúdos do seu blog para e-commerce e confiarem na sua empresa, maiores as chances de você se tornar uma autoridade no mercado. 

Isso acontece porque conteúdos que são pesquisados com mais frequência no Google acabam conquistando uma posição de destaque nos mecanismos de busca e ganhando ainda mais relevância nos resultados. Quanto mais resultados o seu site possuir, maiores as chances de se tornar referência no assunto.

Auxilia na jornada de compra

De forma objetiva, a jornada de compra é o caminho que os potenciais consumidores percorrem antes da decisão de compra. E como as pesquisas que mencionamos anteriormente fazem parte desse processo, um blog para e-commerce contribui de forma significativa em todas essas etapas. 

 

1] No aprendizado e descoberta: Aqui o cliente ainda não sabe que existe um problema ou uma necessidade, então os conteúdos do blog para e-commerce vão ajudá-lo a descobrir a sua empresa atraindo-o com os conteúdos;

 

2] Reconhecimento do problema: Graças aos conteúdos, o potencial cliente começa a perceber que existe um problema no seu dia a dia e que necessita de algo para ajudá-lo;

 

3] Durante a fase de consideração: É o momento em que o cliente começa a procurar por possíveis soluções para o seu problema, como produtos e serviços;

 

4] Na decisão de compra: quando ele decide realmente efetivar a compra do seu produto ou serviço.

 

Investir em um blog para e-commerce é uma poderosa estratégia de venda que também beneficia seu negócio em vários outros aspectos, como, estreitamento do relacionamento com os clientes, criação de vínculo e empatia com as suas personas, esclarecimento de dúvidas dos consumidores, maior visibilidade da sua marca, tráfego qualificado, mais conversões orgânicas e muito mais.

 

Gostou deste conteúdo? Compartilhe com outros empreendedores para que eles conheçam as vantagens de investir em um blog para e-commerce!

Cross border: Uma prática que pode fazer seu negócio crescer ainda mais

Já pensou em fazer cross border na sua loja virtual? Você deve estar se questionando o que esse termo significa. Calma, é sobre isso que vamos conversar no post de hoje. 

Vamos lá?

Mas, afinal, o que é Cross border?

Quando traduzido para o português, cross border quer dizer “além da fronteira”. Ou seja, quando um e-commerce comercializa seus produtos de forma internacional, ou produtos locais para outros países.

 

Assim, é interessante levar em consideração que o cross border não significa apenas comercializar para outros países, pois, além dos estrangeiros, não se pode esquecer que atualmente há milhares de brasileiros que estão fora do Brasil e, dependendo dos seus produtos podem se tornar potenciais consumidores.

 

Atualmente há uma infinidade de produtos que costumam ser vendidos via cross border, entretanto, os principais responsáveis pelo maior volume de faturamento são as lojas online que vendem joias, itens relacionados a hardware, beleza e saúde, roupas, calçados, bolsas e acessórios.

 

O que avaliar antes de praticar o Cross border no E-commerce

 

Mesmo que num primeiro momento pareça que se trata de uma tarefa simples, para fazer cross border é importante que o e-commerce esteja atento à diversos fatores como, por exemplo, o grau de aceitação dos produtos nos outros países, a padronização de processos, os custos operacionais, as exigências e normas do local de destino, entre outros. E, claro, tudo isso requer muita organização e planejamento.

 

Mas óbvio que com tanto trabalho também vem grandes recompensas, uma vez que ter um e-commerce cross border permite que a sua empresa literalmente consiga expandir os horizontes. Isso acontece porque investindo nessa estratégia é possível conquistar novos mercados e clientes, mas, especialmente, consolidar a sua marca no comércio exterior e alavancar o crescimento do seu empreendimento.

Vantagens do Cross border

Aumento das vendas

Como falamos anteriormente, o cross border faz com que a sua empresa tenha acesso a novos mercados e oportunidades. Com isso, uma das vantagens que ele proporciona é a probabilidade de aumentar as vendas e, em decorrência disto, do faturamento também.

 

Menores riscos econômicos

Além disso, investir em cross border faz com que a sua loja se exponha a menores riscos financeiros. Não entendeu o porquê? Nós explicamos. Quando a sua empresa vende somente para um público e por alguma razão acontece algum problema relacionado ao cenário econômico, a sua loja tem mais chances de ser afetada. Afinal, se você só tem uma estrada que te leva a determinado lugar e ela fica bloqueada, você certamente terá que esperar mais tempo para viajar ou até mesmo mudar a rota, certo?’

 

Agora, sempre que um e-commerce trabalha com cross border, ele não fica dependente da economia local, e portanto, no momento em que houver imprevistos financeiros terá menos riscos de ser impactado (pois se uma via estiver interditada, as outras estarão acessíveis).

 

Maiores incentivos fiscais

Você sabia que para incentivar o cross border alguns órgãos brasileiros oferecem vantagens tributárias? Essa iniciativa permite que o seu e-commerce consiga tornar os seus produtos mais competitivos. Dessa maneira, além da sua empresa pagar menos tributos ela pode até mesmo ficar isenta de alguns impostos, ao comprar insumos de produtos que serão exportados, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

O seu e-commerce já pratica o cross border? Caso esteja pensando vender internacionamente, vale a pena dar uma conferida em todas as funcionalidades que a plataforma de ecommerce da Brasil na Web oferece: https://ajuda.brasilnaweb.com.br/vendas-internacionais/

E-commerce em 2022: o que esperar?

Se para as lojas físicas os reflexos de 2020 ocasionaram uma queda significativa nas vendas, o comércio eletrônico segue colhendo os frutos gerados pelas mudanças nos hábitos dos consumidores, mas o que esperar do e-commerce em 2022?

 

Bem, no ano de 2021 se pôde perceber um aumento expressivo na procura pelas lojas virtuais em todo o país, e conforme estimativa da Confederação Nacional do Comércio, ainda haverá um avanço de 38% no e-commerce brasileiro com projeção de R$ 304 bilhões.

[LEIA TAMBÉM: 7 TENDÊNCIAS PARA O ECOMMERCE BRASILEIRO EM 2022]

 

Assim, ao analisarmos o mercado para e-commerce em 2022 fica claro o quanto esse segmento ainda pode crescer e se desenvolver no mundo todo. Afinal, as compras realizadas no universo virtual chegaram com tudo e cada vez mais conquistam milhares de consumidores. E se você ainda tinha dúvidas quanto a isso, tenha em mente que essa tendência só tende a aumentar.

Analisando o cenário de 2021 x e-commerce em 2022

No decorrer destes últimos dois anos o comércio eletrônico foi ganhando força devido a sua capacidade de se mostrar acessível, prático e cômodo. Tudo isso ao mesmo tempo em que é capaz de solucionar problemas reais das pessoas que necessitam e desejam comprar e receber serviços ou produtos, sem a necessidade de sair de casa.

 

Consequência de uma pandemia e momentos desafiadores, o e-commerce teve o maior salto da sua história, especialmente em países onde ele ainda estava em estágio embrionário, como no caso do Brasil. De acordo com relatório da da Ebit Nielsen, as vendas do e-commerce brasileiro alcançaram R$ 87,4 bilhões no ano passado, um crescimento de mais de 40% em relação a 2019. E segue batendo recordes em 2021.

 

No primeiro semestre do ano, as vendas no segmento alcançaram R$ 53,4 bilhões, uma aceleração de 31% em relação ao mesmo período de 2020. Assim sendo, é unanimidade entre os especialistas do setor que após o crescimento relevante no ano anterior, agora chegou o momento de amadurecimento do e-commerce. Principalmente porque atualmente os consumidores já se habituaram com essa nova realidade e constantemente passam a fazer novas buscas no comércio online.

 

Isso significa que os empreendedores e lojistas precisam estar antenados a todos os aspectos que envolvem o e-commerce em 2022.

Projeções para o e-commerce em 2022

Conforme mencionamos anteriormente, para aproveitar esse crescimento do e-commerce em 2022, bem como as novas formas e consumo dos clientes, as empresas precisarão não somente acompanhar os desejos de compras, como também investir em canais de venda digitais.

 

Acompanhe a lista que preparamos sobre o que podemos esperar para o e-commerce em 2022:

Crescimento do Voice Commerce

Da mesma forma que os clientes mudaram os hábitos de consumo e adotaram as compras online pela praticidade que estas proporcionam, eles também aderiram às pesquisas por voz. Isso porque a maioria dos pedidos são feitos através dos smartphones. Logo, para o e-commerce em 2022 podemos esperar um crescimento do voice commerce, que nada mais é do que o uso de assistentes virtuais para adquirir produtos e serviços sem precisar digitar nada, às vezes nem mesmo olhar para a tela.

Aumento do investimento em Inteligência Artificial

Junto com o crescimento do Voice Commerce, as projeções para o e-commerce em 2022 também apontam um aumento do investimento em Inteligência Artificial (IA). Essa tecnologia tem sido fundamental para diversos setores e empresas, mas recentemente passou a conquistar cada vez mais espaço no universo do comércio eletrônico.

 

Contar com um sistema de IA no e-commerce em 2022 pode trazer uma série de benefícios como:

 

  • Personalização do site de acordo com o perfil do cliente, suas preferências, gostos e necessidades;
  • Impulsionamento do desempenho do e-commerce;
  • Aumento da quantidade de vendas;
  • Aumento do ticket médio (valor médio das vendas de certo período);
  • Maior potencial de vendas na internet.

É importante salientar que existem diversos tipos de IA para as lojas online e cabe a cada empreendedor identificar quais delas se encaixa melhor para atender os objetivos do seu e-commerce.

Uso da estratégia Omnichannel

Quando falamos nessa estratégia, estamos nos referindo ao ato de utilizar diferentes canais de comunicação com o intuito de oferecer a mesma experiência de compra independentemente do meio usado, seja no ambiente online ou no offline. Assim, uma experiência omnichannel integra lojas físicas, e-commerces e consumidores.

Foco no atendimento e experiência personalizada

Não é novidade que hoje em dia os consumidores estão cada vez mais exigentes. E nesse mar de lojas virtuais e diante dessa imensidão de concorrentes que constantemente tentam atrair os clientes, quem consegue proporcionar uma experiência personalizada e única automaticamente fica um passo à frente dos demais.

 

Nunca o foco esteve tanto nos clientes como agora. E mesmo nas empresas onde o atendimento é automatizado há a preocupação de fazer com que esse relacionamento seja humanizado.

Melhorias nas modalidades de pagamento

Uma das formas de seguir conquistando os clientes no e-commerce em 2022 é disponibilizando diversas modalidades e opções de pagamentos. Isso dá autonomia a esse consumidor e faz parte do item mencionado anteriormente, uma vez que oferecer diferentes formas de pagamento, tornando o momento do final da compra mais ágil é indispensável para uma experiência personalizada e agradável.

Maior destaque para a realidade Aumentada

A Realidade Aumentada (RA) já está sendo usada por diversas lojas virtuais e promete ser uma forte aliada do e-commerce em 2022. A razão para isso é simples: ela conecta o ambiente virtual ao físico possibilitando que os clientes “experimentem” os produtos, ampliando então as chances de venda.

LGPD: Como saber se o seu negócio está em conformidade com a lei

De forma objetiva, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) tem como propósito oferecer aos cidadãos segurança no que se refere à coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais. Sancionada no ano de 2018, a LGPD entrou em vigor no Brasil apenas em agosto de 2020.

 

Com base na legislação europeia, a lei brasileira engloba entidades de todos os setores e tamanhos visando garantir a privacidade e transparência quanto ao uso de informações pessoais coletadas pelas empresas e pelo setor público. Isso significa que a LGPD envolve o titular (a pessoa física, dona dos dados), o controlador (que escolhe como os dados serão tratados), o operador (que faz o tratamento em si) e o encarregado (mediador entre o titular, a empresa e a Autoridade Nacional de Proteção de Dados Pessoais).

 

Logo, o texto sobre a LGPD é compatível com o da Regulamentação Geral de Proteção de Dados (GDPR ) que se atenta em ser pragmático quanto à definição de que dados pessoais precisam ser tratados de maneira legítima e segura.

Assim, a LGPD é responsável por estabelecer as regras específicas para a proteção da privacidade de dados pessoais coletados e gerados tanto por aplicações e serviços digitais quanto por via física.


Você sabe se o seu negócio está em conformidade com a LGPD?
Neste conteúdo vamos explicar como essa lei funciona e quais suas exigências. Confira!

LGPD: Por que proteger os dados é importante?

Atualmente, mesmo sem que as pessoas se deem conta, seus dados são inseridos em diversos locais e sites para as mais variadas finalidades. Seja para fazer uma compra, instalar um aplicativo, realizar uma pesquisa, comprar um produto, assinar um serviço, simular um financiamento, entre tantos outros, não é mesmo?

 

Diante deste cenário, a LGPD é de suma importância para proporcionar autonomia aos usuários tanto na hora de compartilhar dados ou revogar o acesso. Ela também visa igualar o Brasil aos países da Europa e América do Norte, no que se refere à proteção de dados pessoais de países, facilitando o comércio internacional.

 

Isso representa a garantia de que haverá um consentimento claro que permitirá ao usuário atualizar ou apagar os seus dados que empresas possuem, gerando não somente segurança para estas pessoas, mas impedindo o uso abusivo e indiscriminado desses dados.

5 dicas para adequar seu E-commerce à LGPD

A LGPD tem gerado uma série de dúvidas entre os empreendedores, especialmente aqueles que atuam no e-commerce. O principal motivo é pelo fato dos clientes passarem a exigir ainda mais cuidados por parte dos lojistas após a implementação da lei.

 

Então, a primeira dica para quem deseja que o seu negócio se adeque a LGPD é pesquisar sobre a lei, compreendê-la, e claro, o principal, revisar todos os procedimentos de coleta e armazenamento de dados pessoais do seu e-commerce. Vale salientar que o não cumprimento da mesma implica em severas sanções administrativas.

 

Pensando nisso, listamos alguns pontos que exigem a atenção dos gestores de e-commerce no que diz respeito à LGPD. 

| Analise os princípios regentes da lei

A LGPD elenca diversos princípios que devem ser analisados quanto ao tratamento de dados, como finalidade, adequação, necessidade, transparência e segurança. Assim, a missão da sua loja virtual consiste em inseri-los no planejamento da empresa não somente para o cumprimento da lei, mas para proporcionar uma maior segurança ao consumidor.

| Seja transparente com os usuários

Nunca se esqueça que da mesma forma que a LGPD causa dúvidas nos gestores de e-commerce, o mesmo ocorre com os consumidores. Por se tratar de uma lei recente, ambos ainda estão em fase de adaptação. Portanto, procure ser o mais transparente possível com seus usuários, explicando detalhadamente a finalidade da coleta de cada um dos dados obtidos com a navegação.

 

| Conheça os comportamentos vedados pela lei

Antes da LGPD uma prática muito comum no comércio eletrônico era o compartilhamento da base de dados com parceiros. Contudo, com a chegada da LGPD esse comportamento foi vedado.

 

Agora os dados pessoais devem ser coletados quando estritamente necessários, sendo utilizados exclusivamente para este objetivo.

| Redobre o cuidado com os dados pessoais sensíveis

Quando falamos em dados sensíveis estamos nos referindo aqueles que podem causar discriminação a uma pessoa, por isso merecem maior proteção. De acordo com a LGPD, dados sensíveis são aqueles que envolvem:

 

  • Origem racial ou étnica;
  • Convicção religiosa;
  • Opinião política;
  • Filiação a sindicato ou a organização de caráter religioso, filosófico ou político;
  • Dado referente à saúde ou à vida sexual;
  • Dado genético ou biométrico, quando vinculado a uma pessoa natural.

Como exemplo podemos citar o resultado do exame de um paciente que foi diagnosticado com  HIV – positivo. O mesmo deve ser guardado em um lugar extremamente seguro, seja um documento digital ou físico.

 

Fique atento a essas regras e exceções e lembre-se de que em hipótese alguma esses dados podem ser usados para fins discriminatórios. O descumprimento resulta em severas sanções financeiras.

| Defina políticas de segurança da informação

Após analisar todas as exigências impostas pela LGPD com o auxílio jurídico adequado é provável que o seu e-commerce precise reestruturar os termos de uso/política de privacidade de dados. Também é possível que seja preciso contratar um serviço de implementação ou  manutenção de um sistema específico para esse gerenciamento.

 

E mesmo que num primeiro momento pareça um processo complexo e de custo elevado, esteja ciente de que essas medidas se tratam de um investimento protetivo fundamental para garantir segurança a sua loja e respectivamente dos seus clientes.

 

Aqui na Brasil na Web foi desenvolvido um módulo para ser inserido na loja virtual afim de que os clientes estejam de acordo com a LGPD. 

Esse conteúdo sobre a LGPD foi relevante para você? Comente aqui se o seu negócio já está em conformidade com a lei!

Tik Tok no E-commerce: Como aproveitar todo o potencial dessa rede

Não há dúvidas de que utilizar o Tik Tok  no e-commerce é uma excelente estratégia para aumentar tanto a visibilidade da sua loja virtual quanto audiência e vendas.

 

Recentemente o Tik Tok anunciou que atingiu a marca de 1 bilhão de usuários ativos por mês. O crescimento vem ocorrendo desde julho de 2020, período em houve um crescimento de 45%. Em entrevista à Reuters, a empresa afirmou que os Estados Unidos, a Europa, o Brasil e o Sudeste Asiático são os maiores mercados da plataforma.

 

Ainda conforme as informações divulgadas, no final de 2018 o Tik Tok tinha 271 milhões de usuários, chegou a 508 milhões em dezembro de 2019 e atingiu 689 milhões em julho de 2020. O TikTok caiu para o 2º lugar no ranking de aplicativos mais baixados na loja da Google, no 1º semestre de 2021, ficando atrás do Facebook.

 

Entretanto, ainda está à frente do Instagram, que ocupa o 4º lugar. Vale salientar que o aplicativo de fotos é concorrente direto e propriedade do Facebook, que lançou em junho do ano passado o recurso Reels, com proposta semelhante a do aplicativo chinês, para vídeos curtos de no máximo 60 segundos.

Mas, afinal, o que é o Tik Tok

Quando falamos em Tik Tok estamos nos referindo ao popular aplicativo de vídeos curtos disponível para Android e iPhone (iOS). O app que virou febre conquistando principalmente os jovens, foi o mais baixado no mundo em 2020 e atualmente possui 1 bilhão de usuários ativos mensais.

 

Nesta popular rede social há infinitas possibilidades. Você pode criar conteúdos, curtir, comentar, compartilhar, seguir e interagir com outros usuários, enviando mensagens privadas ou editando clipes, e muito mais. O critério para essa distribuição é baseado em interesses: tendências do momento (trends), hashtags e contas relacionadas.

 

De acordo com o gerente de comunidade do TikTok, Rodrigo Barbosa, os brasileiros gostam do app especialmente pelos vídeos curtos de humor. Além disso, o TikTok no Brasil também possui uma variedade de outros ótimos conteúdos sobre esportes, música, beleza, culinária e uma variedade de tópicos que atraem brasileiros de todas as idades, como dicas de faça você mesmo, decoração, arquitetura e construção muito mais. Sempre há algo novo e surpreendente que encanta os usuários.

Tik Tok no E-commerce: Como usar a favor do seu negócio

Para saber como usar o Tik Tok a favor do seu e-commerce, primeiramente é preciso compreender o que os clientes e potenciais consumidores esperam das marcas e lojas. E há algum tempo a MindMiners realizou uma pesquisa para entender o comportamento do consumidor nas redes sociais. Por meio dela se pode constatar que:

 

  • 54% dos consumidores seguem os perfis das suas marcas favoritas nas redes sociais;
  • 21% buscam essas páginas antes de comprar;
  • 80% dos consumidores costumam ler as postagens de outros seguidores antes de efetuar uma compra pela primeira vez;
  • 71% confiam plenamente nas avaliações de outros clientes.

 

Outro estudo relevante sobre o tema foi feito no ano de 2019 pela Content Trends. Ele revelou que o vídeo é o formato mais consumido, superando as postagens com imagens nas redes sociais. Outro dado a ser considerado mostra que o marketing em vídeos já representa 52,8% dos esforços em Marketing de Conteúdo nas empresas.

 

Além disso, o Tik Tok se tornou o aplicativo preferido dos consumidores para visualização de anúncios, favorecendo que o conteúdo seja distribuído para milhares de pessoas e tenha um maior alcance.

 

Portanto, agora que ficou claro o quanto essa plataforma é poderosa para as empresas que desejam se destacar e crescer no universo digital, confira algumas dicas para explorar todo o potencial do Tik Tok no e-commerce.

Divulgue o TikTok em seu site e demais redes sociais

Insira o link do Tik Tok da sua empresa na sua loja virtual. Divulgue também em outros canais como Youtube e Linkedin. Mas, cuidado ao repostar vídeos do Tik Tok no Instagram, pois diz a lenda que o Instagram não divulga muitos vídeos que contenham a logo do seu concorrente. Melhor não correr risco!

Tenha uma constância

Quem investe em Tik Tok para divulgar o e-commerce não pode deixar a conta abandonada, por isso, ser constante quanto a produção e divulgação de conteúdos se faz necessário para alavancar a marca e consequentemente as vendas. Construir conteúdos de três a quatro vezes por semana é um ótimo começo.

Faça tutoriais para divulgar seus produtos e serviços

Aqui vale tudo! O importante é usar e abusar da criatividade para mostrar ao seu público como o seu produto ou serviço pode solucionar os problemas deles. Se a sua loja virtual vende roupas, que tal fazer tutoriais com as melhores combinações, dicas de looks para cada ocasião, e muito mais?

Use o TikTok para mostrar os bastidores e novidades da sua loja

Uma boa estratégia de conteúdo no Tik Tok para divulgar o seu ecommerce  é mostrar para o público a sua empresa muito além dos produtos, permitindo com que eles conheçam mais sobre a sua história e gerando assim uma conexão. Usando ainda o exemplo da loja de roupas, é válido criar conteúdos compartilhando conquistas, perrengues, chegada de novas peças, organização, entre outros. 

Se permita e explore as possibilidades

O Tik Tok no e-commerce é leve, divertido e possibilita que você teste inúmeras formas de divulgar a sua marca. A única regra é usar o bom senso e evitar termos, expressões ou quaisquer outras atitudes que possam ofender seus seguidores.

Assista e participe das “Trends”

As “Trends” no Tik Tok no e-commerce nada mais são do que os vídeos chamados de tendência, ou seja, aqueles que estão bombando no momento. Assim, para não perder o “timing” e deixar as oportunidades passarem é importante que você fique sempre atento a esses conteúdos para fazer também.

 

Gostou das nossas dicas sobre o Tik Tok no e-commerce? Compartilhe com quem possa gostar também.

Comércio eletrônico 2022: Sete tendências que devem dominar

Comércio eletrônico 2022: Sete tendências que devem dominar

Que as lojas virtuais estão em alta desde 2020 nós sabemos, mas diante desse crescimento acelerado das vendas online no país, o que deverá dominar o comércio eletrônico em 2022? 

 

Nós aqui da Brasil na Web listamos sete tendências para o ecommerce em 2022:

01 | Compras por voz

A compra ou pesquisa por voz promete ser uma das tendências para o comércio eletrônico 2022. Esse recurso de acessibilidade deve se disseminar no próximo ano devido a praticidade que proporciona aos consumidores.

Estima-se que em aproximadamente três anos 40% das transações serão finalizadas, ou pelo menos iniciadas, por meio de comando de voz.

 

Um case de compras por voz de sucesso é a Alexa da Amazon. Basta realizar os comandos de voz que a assistente virtual não apenas adiciona os produtos ao seu carrinho, como finaliza a compra.

02 | Compras pelas redes sociais

Pagamento pelo WhatsApp,  Facebook Shopping, Loja no Instagram, Pinterest com anúncios e as redes sociais de forma geral devem ganhar destaque no comércio eletrônico 2022 e viabilizar diversas compras diretas.

 

As redes sociais já fazem parte da decisão de compra de muitos usuários e por isso, certamente o aprimoramento das compras via redes sociais deve estar em alta. Imagina poder participar de uma Live Commerce e poder clicar no botão para comprar aquele produto? Genial, certo?

[LEIA TAMBÉM SOBRE SOCIAL COMMERCE]

03 | Agilidade nas entregas

Uma grande tendência que deve permanecer no comércio eletrônico 2022 é a agilidade nas entregas, uma vez que os consumidores apreciam e ficam satisfeitos sempre que recebem suas compras antes do prazo previsto. Podemos, inclusive, afirmar que esse é um dos maiores diferenciais de quem atua no mundo dos e-commerces.

 

Fato é que os consumidores se acostumaram a receber seus pedidos um dia após o pagamento ou até no mesmo dia, e não abrem mão disso. Logo, investir numa estratégia que acelere esse processo e o torne mais eficiente é uma etapa fundamental para o sucesso de um e-commerce, uma vez que aumenta a satisfação dos clientes, atrai e fideliza novos consumidores e otimiza as demandas da empresa. 

04 | Novos meios de pagamento

Há um ano houve a implementação do Pix, modalidade de pagamento instantâneo que atualmente tem feito cada vez mais sucesso, e se tornou uma preferência e praticamente unanimidade entre milhares de consumidores brasileiros. Desde que foi lançado, o sistema foi usado mais de 1,6 bilhão de vezes e movimentou mais de R$ 4 trilhões.

 

Conforme o Banco Central (BC), em setembro deste ano, as transações feitas pelo Pix superaram as realizadas por boletos, TEDs, DOCs e cheques somados. Assim, o Pix vem passando por constantes transformações e avanços. O Pix Saque e o Pix Troco foram lançados em 29 de novembro e são os mais recentes. 

 

Já para o próximo ano, a entidade divulgou que têm estudado a possibilidade de lançar novas funções, como débito automático e parcelamento. Então, pode ser que isso aconteça, juntamente com outros métodos de pagamento, como as carteiras digitais que podem ganhar mais força, outras moedas, o cash back (dinheiro de volta), e muitas outras. Dessa forma, o comércio eletrônico 2022 será amplamente beneficiado, possibilitando o aumento das taxas de conversão.

05 | Marketing de influência

Com a concorrência dia após dia mais acirrada, uma super tendência para o e-commerce em 2022, 

será o investimento em Marketing de influência. Muito utilizado em 2021, a estratégia foi desenvolvida nas principais plataformas digitais, como Instagram, YouTube, TikTok e LinkedIn. 

 

Trata-se de uma abordagem que usa determinadas pessoas consideradas pela maioria como influenciadoras. Ou seja, elas têm poder de convencimento ou liderança, e são capazes de influenciar na decisão de compra a favor de um negócio.

 

Investir no marketing de influência amplia o engajamento da marca, aumenta os números de conversão e transmite mais confiança ao público.


Importante lembrar que o que manda não é o n° de curtidas de um influencer e sim o seu engajamento e poder de convencimento. Muitos nano influencers (até 1000 seguidores) conseguem fazer mais vendas do que perfis gigantescos.

 06 | Produtos eletrônicos

Prever quais produtos estarão em alta no comércio eletrônico 2022 é uma grande incógnita, entretanto, produtos que devem se disseminar bastante continuam sendo itens eletrônicos, de informática, telefonia e todos relacionados à tecnologia. Isso indica que as categorias que perderam força durante o período mais crítico da pandemia e lockdown irão se fortalecer.

 

Entre eles podemos citar: serviços de bilheteria, compras de passagens, atrações musicais e turísticas, entretenimento e aplicativos de serviços. Todos estes prometem crescer de modo expressivo. Outros segmentos que devem surpreender são os de alimentos e bebidas.

07 | Live Commerce

As lives commerces ganharam visibilidade durante a pandemia após algumas apresentações feitas por artistas reconhecidos.

Trata-se de uma nova forma de comércio onde o público/consumidor pode apontar o celular para um QR Code que o direciona a um link de pagamento. Esses valores podem corresponder a variadas finalidades: ingressos, doações, compra de um produto, entre outros.

 

Live Commerce é uma estratégia de vendas e divulgação de produtos e serviços realizados no ambiente online que tem tudo para crescer no comércio eletrônico 2022. Isso porque esse formato integra transmissões ao vivo (Lives) atrelado aos objetivos de um e-commerce tradicional, com o propósito final de esclarecer as dúvidas da audiência em relação a um determinado produto e serviço, aumentando a confiança e credibilidade da marca e elevando significativamente as possibilidades de venda.

 

Na China, por exemplo, mais de 320 milhões de pessoas efetuaram ao menos uma compra por transmissão ao vivo (livestream) em 2021.Já aqui no Brasil, segundo o portal Mercado e Consumo, a Americanas obteve mais de 6,8 milhões de buscas pela marca na internet como resultado do investimento massivo em patrocínio na edição do Big Brother Brasil (BBB) 2021.

 

Gostou desse conteúdo? Interaja conosco e deixe uma mensagem!

Gatilhos mentais: 10 técnicas para vender mais no seu E-commerce

Dez gatilhos mentais para vender mais no seu e-commerce

Sabia que usando os gatilhos mentais corretos é possível aumentar as vendas no seu e-commerce?

 

Quem trabalha com comércio eletrônico sabe que é comum se deparar com algumas dificuldades na hora de converter visitantes em clientes. Porém, existem uma série de técnicas de vendas que podem ajudar a contornar essa situação e despertar nos usuários o desejo de comprar na sua loja. 

 

Neste post você vai descobrir uma das mais eficientes táticas de vendas: o uso dos gatilhos mentais. Acompanhe!

 

O que são os gatilhos mentais?

Os gatilhos mentais, também chamados de gatilhos psicológicos, são todos e quaisquer estímulos que podem gerar reações diversas nas pessoas, como alegria, raiva, senso de urgência, dentre outros.  De forma objetiva e clara, é tudo aquilo que tem o poder de fazer o seu interlocutor executar uma ação.

 

Os gatilhos mentais aplicados às vendas se tornam um bom caminho para engajar potenciais consumidores a adquirirem seus produtos ou serviços.


Veja um exemplo: Digamos que você seja um vendedor de água e esteja oferecendo o produto em um dia de temperaturas elevadas. Para ter sucesso nas vendas é necessário que você defina quem é o seu público alvo e quais são as dores deles. Neste caso, seu público seria todas as pessoas que têm sede e precisam se refrescar.

 

O que a maioria dos vendedores ambulantes fazem? Eles conversam com o seu público dizendo palavras que remetem à refrescância trazida pela água e seus benefícios. Isso acaba inconscientemente estimulando os sentidos dessas pessoas e gerando motivação para que elas comprem o produto mesmo que não estejam com muita sede naquele momento.

 

Esse é apenas um dos gatilhos mentais que podem ser usados, mas existem diversos.

 

Conheça 10 gatilhos mentais para alavancar as vendas

Agora que você já sabe o que são os gatilhos mentais, vamos mostrar os principais e como aplicá-los. É importante lembrar que por não ser parte de uma ciência exata não existe um catálogo com todos os gatilhos mentais existentes no mundo. Entretanto, há um conjunto deles considerados de vital importância para quem possui um e-commerce e deseja alavancar as vendas. Veja:

Gatilhos mentais de AUTORIDADE

 

 

O gatilho mental da autoridade é utilizado para validar a competência da loja ou do profissional que está oferecendo o produto ou serviço. Isso porque as pessoas possuem a tendência de optar por lugares e itens que vêm de fontes confiáveis, têm sólidos conhecimentos acerca do nicho que trabalham e podem oferecer o suporte necessário durante eventuais transtornos. 

Se o seu negócio é novo e você não tem muita experiência no mercado, uma ótima forma de demonstrar a sua autoridade é através do seu comprometimento com os seus consumidores. Para isso, trabalhe conteúdos relevantes nos stories, conteúdos em formato de vídeo em suas redes sociais.

 

Já na loja, aposte em selos e o certificado de segurança e de meios de pagamento que aceita em sua loja virtual.  Também capriche na página quem somos. Coloque fotos e um bom texto ou quem sabe, até um vídeo.

 

Além disso, faça o cadastro da sua loja virtual no Google Meu Negócio. Peça avaliações de seus clientes, assim, quando alguém pesquisar pelo seu negócio no Google, aparecerá avaliações no Google Maps. Fantástico, certo?

 

Gatilhos mentais de CURIOSIDADE

 

O ser humano é naturalmente curioso, por isso, instigar a curiosidade dos seus potenciais clientes é uma excelente forma de atraí-los, envolvê-los e consequentemente vender mais.

 

Gatilhos mentais de RECIPROCIDADE

 

A reciprocidade é um dos gatilhos mentais mais usados para a conversão de leads. Isto é, fazer com que os visitantes deixem o seu e-mail. Este gatilho parte do princípio de dar e receber, o que justifica o seu nome. 

 

Uma das formas mais comuns de aplicar esse gatilho é oferecendo cupons de descontos, promoções especiais e serviços gratuitos. 

 

Se o seu e-commerce for de produtos fitness, por exemplo, e você tem um blog sobre o tema, você pode oferecer e-books gratuitos com dicas para uma alimentação saudável e receitas práticas e nutritivas, por exemplo. Isso fortalece o relacionamento entre empresa e consumidor.

 

Depois, pode trabalhar uma estratégia de email marketing para essa base de leads que irá criar.

 

Gatilhos mentais de COMPROMISSO E COERÊNCIA

 

Nesses gatilhos mentais o mais importante é o seu negócio oferecer garantias. Entre elas, o reembolso, caso o cliente não receba o produto que adquiriu ou o envio de um 

item se ele não estiver funcionando. 

 

Por isso, é bom criar uma boa página sobre troca e devoluções. Esta página costuma ser bem acessada. 

 

Por meio deste comprometimento as pessoas não ficarão receosas em comprar os seus produtos e ficam resguardadas com as garantias que a sua empresa ofereceu. 

 

É essencial também ser coerente. Se a sua loja trabalha com produtos pedagógicos , por exemplo, o seu e-commerce precisa se comportar como uma organização que se preocupa com o desenvolvimento motor e cognitivo das crianças. Assim, seus produtos e toda a sua comunicação, inclusive em suas redes sociais, devem ser coerentes com o seu propósito.

 

Gatilhos mentais de NECESSIDADE

 

Muitas vezes o que impede um potencial consumidor de realizar uma compra é a ausência de uma necessidade evidente. 


Na hora de cadastrar os produtos, não coloque somente a tabela técnica, escreva sobre o porquê o cliente deve comprar o  seu produto,  quais são os benefícios o que o produto proporciona.

Gatilhos mentais de PROVA SOCIAL

 

Esse é um dos gatilhos mentais que se relaciona com o modo como as pessoas tomam decisões. Esse gatilho parte do princípio de que as pessoas seguem aquilo que é tendência entre o seu grupo social. 

 

Sabe quando você realiza a pesquisa de um determinado produto em uma loja virtual e vê na página deste produto diversas recomendações e avaliações positivas? Isso automaticamente te faz pensar que aquele item é realmente muito bom e vale a pena. Afinal, várias pessoas o aprovaram.

 

Ao vender um produto no seu e-commerce, peça para que seus  clientes avaliem o produto comprados. 

 

Na plataforma de ecommerce da Brasil na Web é possível que o cliente avalie com texto e classifique até 5 estrelinhas um produto. Além da avaliação no produto, o cliente pode fazer uma avaliação geral.

 

Gatilhos mentais de ESCASSEZ

 

Esse é um dos gatilhos mentais mais poderosos, e por isso é bastante utilizado pelos vendedores. Isso porque, de acordo com estudos realizados por psicólogos americanos, envolvendo a psicologia por trás das tomadas de decisão, o sentimento de perda nos humanos é mais forte do que o de ganho. 

 

Isso significa que quando o potencial cliente tem algo a perder, como uma oportunidade de desconto ou itens em quantidades limitadas, a sua tomada de decisão tende a favorecer a compra.

 

Trabalhe promoções com limite de data, cupom de desconto que são válidos até uma data x, envie email com promoções exclusivas para comemorar o aniversário do cliente, enfim, são várias formas de você aplicar a escassez no seu negócio online.

 


Gatilhos mentais de ESPECIFICIDADE

 

Ser específico torna o seu e-commerce verdadeiro. Logo, é extremamente importante mostrar aos consumidores o que torna o seu produto ou serviço único o diferenciando dos concorrentes.

Gatilhos mentais de EMOÇÃO

 

As pessoas costumam tomar mais decisões emocionais do que lógicas. Então, sempre que a sua loja souber explorar os sentimentos dos potenciais consumidores irá atrair muito mais a atenção deles. 

 

Gatilhos mentais de NOVIDADE

 

Como o próprio nome já diz, nesse gatilho você apresenta as novidades para os clientes, e isso não quer dizer necessariamente que deva ser algo inovador. Pode ser algo novo referente ao seu nicho ou algum produto. Esse gatilho pode ser usado para fazer lançamentos, mostrar produtos que acabaram de chegar ao mercado, apresentar soluções inovadoras para problemas antigos, entre outros.

 

Lembre-se: Esses são apenas alguns exemplos de gatilhos mentais que você pode aplicar na sua loja virtual. E independente de quais você decidir usar, tenha em mente que é fundamental conhecer bem o seu público, juntamente com as dores deles. 

 

Gostou do nosso conteúdo sobre gatilhos mentais? Compartilhe com alguém que possa gostar também. 

E-commerce brasileiro fatura R$ 53,4 bilhões no primeiro semestre de 2021

E-commerce brasileiro fatura R$ 53,4 bilhões no primeiro semestre de 2021

Você sabia que no primeiro semestre de 2021 o e-commerce brasileiro faturou R$ 53,4 bilhões? E é claro que não poderíamos deixar de compartilhar essa informação tão relevante, uma vez que somos apaixonados por esse universo e vivemos dele.

 

É importante salientar que o e-commerce brasileiro bateu recorde de vendas no país em um ano onde ainda estamos tendo que lidar com inúmeras sequelas emocionais e físicas provocadas pela pandemia da Covid-19. 

 

De acordo com um apontamento da 44ª edição do Webshoppers, pesquisa desenvolvida pela Ebit Nielsen, empresa especializada em análise do comércio eletrônico e realizada em parceria com o Bexs Banco, o faturamento do comércio eletrônico no primeiro semestre de 2021 foi de R$ 53,4 bilhões e houve um crescimento de 31% em relação ao mesmo período de 2020.

O crescimento do E-commerce brasileiro era previsto

Conforme levantamento da Visa Consulting & Analytics, essa tendência já vinha sendo estabelecida desde o início da atual crise sanitária, quando aproximadamente 70 mil empresas entraram para o comércio eletrônico.

 

Ainda com base no estudo, foi possível identificar esse fenômeno e prever esse crescimento do e-commerce brasileiro entre os meses de abril e junho de 2020, quando as medidas de quarentena e o isolamento social foram estabelecidas em todo o país.

A pandemia consolidou o e-commerce brasileiro uma vez que os hábitos dos consumidores mudaram. Muitos que anteriormente compravam somente nas lojas físicas ou nunca haviam feito compras online, acabaram migrando para o e-commerce devido ao isolamento e distanciamento social. O resultado? O e-commerce brasileiro encerrou o ano de 2020 com um acumulado de mais de 73% de aumento nas vendas online.

 

E-commerce brasileiro: O céu é o limite

 

Diante deste cenário, quando falamos em e-commerce brasileiro o céu é o limite. E se depender dos empreendedores esse faturamento vai só aumentar. É que um balanço recente divulgado pela Serasa Experian, empresa de análise de crédito, revelou que, em média, 47,1% das micro, pequenas e médias empresas pretendem ampliar seus investimentos em plataformas digitais para aumentar as vendas mesmo após a pandemia.

 

A pesquisa ainda apontou que os gastos em tecnologia para vendas remotas com qualidade devem não apenas se manter, mas aumentar: 85,8% dos empreendedores que já atuavam no digital afirmaram que consideram de extrema relevância seguir investindo no e-commerce brasileiro.

 

Fato esse que enfatiza cada vez mais a transformação digital pela qual a maior parte das empresas do nosso país estão passando.

 

E-commerce brasileiro x Novos hábitos de consumo

Se no começo da pandemia comprar pela internet parecia uma missão quase impossível e um tanto quanto estranha para alguns consumidores, hoje as compras online se tornaram cada vez mais atraentes e sedutoras. Isso porque consumir através do e-commerce brasileiro representa não apenas comodidade, mas segurança, economia de tempo e principalmente de dinheiro.

 

Conforme pesquisa da Webshoppers – relatório sobre o comércio eletrônico brasileiro – ao menos 17% dos consumidores fizeram sua primeira compra pelo e-commerce brasileiro neste ano de 2021.

 

E-commerce brasileiro: Por que investir no virtual?

Primeiro é que a nossa sociedade está cada vez mais digital. Tanto que, às vezes, a gente nem separa mais tanto o online do offline. Por isso, estar no online faz toda a diferença. 

 

Muitos consumidores começam o desejo pela compra de algum produto ou serviço através de algum contato através do digital: seja em postagens em redes sociais, seja em vídeos no Youtube ou mesmo em alguma pesquisa realizada no Google.

Além disso, quem teve uma boa experiência de compra no online, continuará fazendo suas compras virtualmente pois, além de ser prático, costuma ser mais barato,

 

Agora, olhando para o lado do empreendedor, investir em um negócio online costuma ser mais barato do que investir em um negócio físico. Isso porque, no Online você não precisa ter um ponto super estratégico, em avenidas e polos comerciais que passam muitas pessoas. Só neste quesito o empresário economizará uma fatia boa, que poderá ser alocada para o investimento em tráfego pago, por exemplo. 

 

Muitos negócios no Brasil começam em suas próprias casas e, à medida que o negócio vai crescendo, vão ampliando o local de armazenamento das mercadorias.

 

Outro fator é que não são necessários uma quantidade muito grande de vendedores, já que é a página do produto que irá fazer o papel do vendedor. Por isso é importante ter cadastro de produtos muito bem feitos. 

 

Mas, isso não quer dizer que não deva ter atendimento humano seja via Whats App ou Chat online em sua loja virtual. Esse contato com pessoas faz toda a diferença para usuários que ou estão com dúvida sobre algum produto ou apenas querem se certificar de que a empresa realmente existe.

 

Dito isto, tudo indica que tanto para empreendedores quanto paraquantopara  consumidores, o e-commerce brasileiro continuará sendo a opção da maioria das pessoas, mesmo após a pandemia.

 

E-commerce brasileiro: Como migrar para o universo digital?

 

Se você está pensando em fazer parte do mundo das vendas online, a primeira coisa que precisa é fazer o planejamento do seu ecommerce.

 

Aqui na Brasil na Web a gente tem um material muito completo que foi desenvolvido por especialistas em e-commerce para que você possa começar o seu negócio com o pé direito.

 

Basta baixar o material pelo link: 

[START KIT PLANEJAMENTO DE E-COMMERCE]

 

E se tiver alguma dúvida, chama a gente no direct do Instagram @brasinaweb. Teremos o prazer em responder suas dúvidas. 

 

Feito o planejamento, é hora de escolher a plataforma de e-commerce.

 

É fundamental que ela seja profissional, fácil e flexível, para que você mesmo consiga configurar suas informações conforme suas necessidades. Entre elas: cadastrando os produtos, meios de pagamento, fretes e todas as demais funcionalidades que estiverem à sua disposição.

 

[LEIA TAMBÉM: COMO ESCOLHER A PLATAFORMA DE ECOMMERCE]

 

Se quiser experimentar uma loja virtual para ver as funcionalidades, e certificar de que a plataforma se encaixa com o seu negócio, aproveite o período de 30 dias grátis para testar a plataforma da Brasil na Web.

 

Além de testar, você terá acesso aos nossos consultores de e-commerce, que te ajudarão  a entender as necessidades do seu negócio e instruir sobre o que será necessário para montar sua Loja Virtual de sucesso e começar a vender online. 

 

Conheça a plataforma de E-commerce Gratuitamente 

 

Marketing de Conteúdo para E-commerce: 5 dicas de como fazer

O marketing de conteúdo para e-commerce é como se fosse a base, a fundação de todas as estratégias de marketing do seu negócio. E por que isso? Porque ele vai fazer com que você tenha presença digital quando as pessoas forem procurar e pesquisar sobre a sua empresa. Ou seja, sempre que seus clientes ou potenciais consumidores fizerem uma busca sobre a sua loja virtual na internet, você será encontrado por meio do seus conteúdos de valor.

Através do acesso a esses conteúdos as pessoas passarão a enxergar a sua marca como autoridade na área, uma vez que vão consumi-los, se identificar com eles e automaticamente confiar mais em você. Assim, o objetivo de produzir excelentes conteúdos é, além de fazer com que você tenha mais presença digital, também despertar confiança no seu público alvo.

Uma loja que não investe em marketing de conteúdo para e-commerce e não tem presença digital acaba não gerando confiança nas pessoas e consequentemente, acaba não vendendo tanto quanto gostaria.

Para ajudar você que está iniciando agora neste universo, ou até mesmo já possui uma loja virtual mas deseja alavancar as suas vendas, vamos apresentar algumas dicas de marketing de conteúdo para e-commerce. Acompanhe!

 

01 | Faça o mapeamento para descobrir a sua Persona

A Persona no marketing de conteúdo para e-commerce nada mais é do que um personagem com base em pessoas reais que representa o “cliente ideal” do seu negócio. Essas pessoas têm interesse real nos seus produtos ou serviços, se conectam com eles e com a sua marca.

 

Assim, ao fazer o mapeamento para descobrir qual a sua persona, é possível compreender o comportamento dessa pessoa, como, atitudes, preferências, quem e como são seus amigos, quem são as pessoas e páginas que influenciam ela, canais que ela segue no YouTube, entre tantas outras informações relevantes.

 

Ter esse conhecimento é fundamental para saber qual a melhor forma de se comunicar com esse cliente. Auxilia você a ser mais assertivo na hora de escrever um conteúdo, de escolher qual o melhor lugar para divulgá-lo e como, qual a linguagem mais adequada para conversar e se conectar com ela, e muito mais.

 

02 | Publique os conteúdos onde a sua Persona está

Você pode criar conteúdos incríveis, mas nada adiantará se eles forem publicados nos lugares errados. Existem diversas formas de aplicar e executar uma boa estratégia, como por exemplo, blog post com conteúdos ricos, vídeos no Youtube e nas redes sociais , conteúdos específicos para redes sociais e e-mail marketing.

 

03 | Tenha um blog próprio

Invista em um blog próprio em um site próprio para desenvolver o marketing de conteúdo para e-commerce. Os benefícios são muitos e o principal deles é poder ser encontrado no Google de forma orgânica. Por meio de um bom trabalho de pesquisa de palavras-chave e SEO, a sua loja virtual vai conquistar autoridade do mercado gastando bem menos do que com tráfego pago. Além disso, um site com domínio próprio permite que a sua empresa publique Landing Pages para capturar os Leads com facilidade. 


04 | Use formatos de conteúdo diferentes

Um bom planejamento de marketing de conteúdo para e-commerce contempla diferentes formatos. Contudo, não vale a pena produzir apenas de um jeito e adaptar a variadas mídias. Isso porque ao agir dessa maneira, você torna a sua estratégia ineficiente, uma vez que cada plataforma deve ser trabalhada de um modo específico.

 

Por exemplo, no marketing de conteúdo para e-commerce que utiliza o blog, o foco é otimizar os posts para que eles sejam encontrados na busca orgânica. Nas mídias sociais como Facebook e Instagram, você pode explorar o uso das imagens, vídeos e procurar trabalhar de forma detalhada  descrição dos seus produtos ou serviços, além de criar conexão com a sua persona.

 

Já com o e-mail marketing, você pode nutrir os seus Leads e conduzi-los durante a jornada de compra.

05 | Crie conteúdos que ajude a resolver dúvidas e dores dos clientes

As melhores fontes de assuntos são os clientes já existentes, parceiros e até mesmo Leads, que vão relatar algumas dores e dúvidas que você pode ajudar a resolver com a ajuda do marketing de conteúdo para e-commerce.

Como você deve ter percebido, fazer marketing de conteúdo para e-commerce vai muito além de simplesmente escrever e esperar que resultados milagrosos apareçam.  Trata-se de muita pesquisa, planejamento e metas para que se consiga atingir os objetivos definidos! 

E, se ainda não ficou convencido de que o marketing de conteúdo é uma boa opção para o seu negócio online, abaixo listamos alguns dados sobre o marketing de conteúdo.

Por que investir em Marketing de Conteúdo para E-commerce?

Atualmente, mais de 70% das buscas que são feitas na internet são voltadas para os conteúdos. As pessoas pesquisam sobre “como fazer”, “o que fazer”, “como usar”, “onde encontrar”, entre outros, sempre buscando uma solução para determinados problemas.

 

Então quando essas pessoas estão buscando no Google, no YouTube, nas redes sociais, por conteúdos assim e não encontram a sua loja, você deixa de ser relevante. Pelo contrário, fica sem alcance e consequentemente deixa de vender.

 

Investindo em marketing de conteúdo para e-commerce a sua loja virtual será encontrada por diversas pessoas, proporcionando uma série de benefícios como: 

  • Maior tráfego para o site;
  • Maior engajamento das pessoas com a marca;
  • Ajuda a vender mais;
  • Impulsiona a geração de leads;
  • Reduz o Custo de Aquisição de Clientes (CAC);
  • Gera Brand Awareness (Consciência da marca);
  • Aumenta o Lifetime Value (LTV), que mostra o valor que o cliente gasta com a sua marca.

Ticket médio: Entenda o que é, como calcular e aumentá-lo

Entenda o que é, como calcular e aumentar o ticket médi

No conteúdo de hoje vamos conversar sobre um dos principais indicadores para a saúde financeira da sua loja virtual: o Ticket médio.

 

Peter Drucker, considerado o pai da administração dizia que “O que pode ser medido pode ser melhorado”. E essa frase está intimamente ligada ao tema deste post. E você sabe porquê? 

Por uma razão óbvia mas que às vezes muitos empreendedores acabam deixando de lado: identificar e monitorar os indicadores de um negócio é essencial para que você saiba se está ou não no caminho certo. 

 

Assim, é de extrema importância utilizar indicadores de desempenho como os KPIs, para mensurar os resultados e garantir uma gestão eficiente. KPI (Key Performance Indicator) é uma sigla que vem do inglês e quando traduzida para o português quer dizer Indicadores-Chave de Performance. 

 

O Ticket médio está entre os principais KPIs no ecommerce e é utilizado para entender o comportamento do consumidor e acompanhar as finanças da loja virtual. Além disso, sempre que uma empresa negligencia esse indicador acaba prejudicando a verdadeira visão que os gestores têm sobre os resultados que estão sendo alcançados através do investimento em marketing.

 

Ticket médio: o que é?

O Ticket médio nada mais é do que um indicador financeiro que revela o valor médio que um cliente  investe  em produtos ou serviços em uma única compra na sua empresa..

 

 Ou seja, sempre que se fala em Ticket médio no e-commerce,  estamos nos referindo ao valor em pedidos captados divididos pelo número total de pedidos realizados dentro de um determinado período Por exemplo, se você vendeu mil reais e tem dez pedidos na sua loja, então o seu ticket médio é cem reais.  

 

É importante acompanhar o ticket médio mês a mês para saber se ele está aumentando, está estagnado ou diminuindo, para então tomar as decisões necessárias para melhorar esta métrica no seu ecommerce.

 

Quanto maior for o ticket médio na sua loja virtual, melhor será para o seu negócio bater as metas de vendas, além de medir onível de satisfação dele com os produtos ofertados na sua loja virtual.

 

Ticket médio: Como calcular?

Calcular o ticket médio do seu e-commerce é mais simples do que você imagina: basta separar o valor faturado por um determinado período (um mês, um ano) e dividir pela quantidade de operações de venda que teve nesse mesmo período.

 

Vamos exemplificar para que fique ainda mais fácil de você compreender. Se o seu e-commerce fatura cinquenta mil reais num mês e faz quinhentas vendas o ticket médio do mês seria calculado da seguinte forma: R$50.000,00 dividido por 5000 = R$100,00 de ticket médio.

 

Lembre-se sempre dessa fórmula: 

TICKET MÉDIO = VALOR EM R$ CAPTADO EM PEDIDOS / NÚMERO TOTAL DE PEDIDOS

 

Qual a importância do Ticket médio para o E-commerce?

Por ser considerado uma das métricas mais importantes de um negócio, uma vez que fornece informações valiosas para a elaboração de ações estratégicas e para o planejamento de vendas com o objetivo de aperfeiçoar os resultados, o ticket médio é fundamental para um e-commerce.

 

Vamos imaginar que você pretende faturar R$10.000/mês no seu ecommerce. Se o seu ticket médio fosse de R$100,00 reais, você precisaria de 100 pedidos para bater a sua meta. Mas, se você conseguisse aumentar o seu ticket médio para R$150,00, você precisaria de 66 pedidos e não 100. Percebe como é importante essa KPI para seu negócio? 

 

Por ser considerado uma das métricas mais importantes de um negócio, uma vez que fornece informações valiosas para a elaboração de ações estratégicas e para o planejamento de vendas com o objetivo de aperfeiçoar os resultados, o ticket médio é fundamental para um e-commerce.

 

Quanto falamos em investimento em tráfego pago, essa métrica é ainda mais importante já que o custo para trazer um cliente vai ser o mesmo se ele comprar R$10,00 ou R$1000.

 

Visualizar o quanto um cliente investe em um pedido no seu e-commerce vai servir como um norte para aumentar a rentabilidade do seu negócio. Além disso, é muito mais barato para uma empresa aumentar o ticket médio e fazer com que o mesmo cliente gaste um pouco mais, do que trazer novas pessoas que ainda nem compraram no seu e-commerce.

 

Como aumentar o ticket médio?

Existem algumas formas de fazer com que cada venda da sua loja virtual seja potencialmente maior. Entretanto, muitas vezes para fazer um bom número de vendas as empresas acabam recorrendo a estratégias que demandam maior energia e gastos, mas acabam não gerando os resultados esperados.

 

Pensando nisso, separamos três dicas para ajudar você a ser assertivo e conseguir aumentar o seu ticket médio. Veja!

 

Não venda preço

Isso mesmo! Trabalhe bem as fotos e descrição dos seus produtos, mostrando sempre o benefício que o produto proporciona, as dores que ele sana.  Para  isso é fundamental que você conheça muito bem o produto ou serviço que você vende, e saber mostrar para o seu cliente quais são os benefícios que aquele produto ou serviço tem e vão proporcionar a ele.

 

Mesmo que seja o produto ou serviço mais caro do seu portfólio e da sua loja, se ele for bem apresentado e você conseguir fazer o cliente entender que aquele benefício resolve o problema dele, ele vai pagar o quanto for necessário para ter esse produto. 

Quando você vende preço, o cliente pensa apenas se pode ou não comprar, e se ele não tiver o dinheiro provavelmente vai acabar desistindo. Agora, quando você vende uma solução, o preço vai ser uma consequencia já que o cliente vai perceber valor naquilo que está sendo oferecido, e não um número qualquer.

 

Complemente a solução que você está oferecendo

Se você tem algum acessório, complemento que pode ser inserido junto com a venda do seu produto ou serviço principal, faça isso. Mostre para o seu cliente que a experiência daquele produto pode ser muito melhor se ele utilizar algo diferente para complementar o que está sendo oferecido. 

 

Em outras palavras, apresente soluções que ampliem aquela primeira solução que você ofereceu. Dessa forma a sua venda vai aumentar exponencialmente. Já pensou se você fizer isso com dez clientes num dia? Ou com cem clientes num mês?

 

Muitos podem até não comprar, mas certamente aqueles que comprarem vão comprar muito mais do que comprariam se você não estiver fazendo isso.

 

Faça Combos de produtos

Oferecer kits de produtos é uma ótima forma de fazer o seu cliente levar mais produtos. Claro que ele precisará ver  valor na compra deste combo.

 

Frete Grátis

Pelo menos uma vez no mês, ofereça frete grátis na compra de um valor x. Muitas pessoas irão colocar mais produtos no carrinho só para ganhar o benefício do frete grátis.

 

Desconto Progressivo

Faça promoção de desconto progressivo, quanto mais itens o cliente levar, maior será o desconto. Você se surpreenderá de como os clientes levarão mais itens para conseguir desconto.

 

Promoções

Existem várias promoções que pode fazer na sua loja virtual para que o cliente leve mais  itens. O importante é ter sempre um calendário de marketing e criar a necessidade de compra nos seus clientes.

 

Gostou de compreender melhor a importância do ticket médio e das nossas dicas para aumentá-lo? Conta aqui pra gente se você já aplicou ou pretende aplicar elas!

6 dicas para aumentar as vendas de final de ano no e-commerce

6 dicas para aumentar as vendas de final de ano no e-commerce

 No final do ano, diversos empreendedores começam a se questionar sobre o que fazer para alavancar as vendas de final de ano no e-commerce. Isso porque se trata de uma época repleta de datas comemorativas e eventos responsáveis por estimular e movimentar ainda mais o setor varejista. Entre elas, a Black Friday, Cyber Monday e Natal. E claro, não podemos esquecer que o pagamento do 13º salário também influencia para que as pessoas acabem consumindo mais.

Segundo pesquisa da consultoria McKinsey, o comércio eletrônico e os hábitos de consumo apresentaram no primeiro semestre de 2020, um desenvolvimento que corresponde ao dos dez anos anteriores. Assim, as expectativas para o comércio virtual nestas datas importantes do varejo eletrônico, como as mencionadas acima, estão elevadas.

 

Outros dados que contribuem para essas perspectivas são os da Federação Nacional do Varejo dos Estados Unidos que revelaram que mesmo antes da pandemia, havia mais pessoas comprando online do que em lojas físicas durante a Black Friday. Especialistas apontam que essa tendência deve ser replicada em outros países do mundo, que já se preparam com ofertas especiais para atrair os clientes nestas datas. Além disso, um estudo da e-bit realizado pela Nielsen indica que, até o final do ano, os e-commerces devem crescer 26% e atingir um faturamento de até R$ 110 bilhões

 

Pensando nisso, listamos algumas dicas que consideramos valiosas para que você consiga aproveitar esse momento para proporcionar experiências diferenciadas ao consumidor e consequentemente aumentar as vendas de final de ano no e-commerce. Confira!

 

01 | Invista na comunicação

Quem quer aumentar as vendas de final de ano precisa investir na comunicação. Isso é fundamental tanto para divulgar o seu e-commerce quanto para que os seus clientes consigam interagir com a sua marca. Logo, é importante que você saiba quais redes sociais os seus potenciais consumidores e clientes estão usando, bem como por meio de quais canais eles preferem se comunicar com a sua loja.

 

Atualmente as empresas têm usado bastante o Instagram e o WhatsApp pela praticidade que oferecem, como envio de imagens, documentos e áudios. Ter uma presença digital não somente ajudará a vender mais no final de ano, mas principalmente, irá estabelecer um relacionamento com o consumidor. Através dessas plataformas ele poderá esclarecer dúvidas, solucionar problemas, opinar sobre os produtos, serviços ou atendimentos, indicar o seu negócio para amigos, conhecidos, e muito mais. 

 

02 | Seja ativo nas redes sociais

Um levantamento recente feito pela agência focada em análise do mercado mobile, a App Annie, mostrou que atualmente o Brasil é o país com a maior média de tempo gasto em aplicativos (apps) no ano. O estudo, que foi divulgado com exclusividade pela revista Forbes, foi desenvolvido com base nos resultados do segundo trimestre de 2021.

 

A média de uso dos apps pelos brasileiros é de 5.4 horas por dia, de acordo conforme os dados. O país é seguido pela Indonésia, com 5.3 horas, e Índia, com 4.9 horas. Segundo a empresa, os resultados sugerem que a pandemia de covid-19 impulsionou muito o aumento do tempo dos usuários nos software, ocasionando um crescimento de 45%.

 

Outra informação relevante é a de que 86% dos brasileiros são adeptos às compras online. Segundo a Social Commerce, realizada pela AlliN | Social Miner, em parceria com a Etus e Opinion Box, as redes sociais têm tido um importante impacto nesse hábito. Veja:

 

  • 76% dos consumidores já recorrem a elas antes de comprar;
  • 56% deles fazem isso para ler a avaliação de outros clientes;
  • 54% para comparar preço;
  • 37% visitam as lojas digitais pelo menos uma vez por mês em busca de ofertas;
  • 23% acessam a rede semanalmente para fazer compras.

 

Por isso, use e abuse das redes sociais para divulgar o seu negócio e produtos. Ser ativo nelas é fundamental para apresentar o seu e-commerce de maneira dinâmica, alcançar novos clientes e aumentar as vendas de final de ano. Uma ótima ideia é fazer a loja no Instagram, assim, poderá marcar produtos, além de poder investir em anúncios de catálogo no Facebook e Instagram. Conheça mais sobre o Social Commerce

 

Lembre-se que cada brasileiro passa em média 5.4 horas por dia conectado aos aplicativos e que quanto mais você souber explorar todas as ferramentas que as redes sociais oferecem, maiores as chances da sua loja ser encontrada por esses consumidores.

 

03 | Ofereça variadas opções de pagamento

Disponibilizar várias opções de pagamento para os clientes é um fator que pode influenciar na decisão de compra e aumentar as vendas de fim de ano, uma vez que isso transmite autonomia à eles. Hoje em dia, por exemplo, o Pix tem se tornado unanimidade entre os consumidores, já que o e-commerce pode disponibilizar um QR Code (através de um gerador de QR Code) que direciona o cliente diretamente para o aplicativo do seu banco de preferência, onde o pagamento é efetuado em no máximo dois minutos.

 

Além do Pix, ofereça pagamento por cartão de crédito e também por boleto. Para escolher quais intermediadoras de pagamento são melhores, faça uma tabela para comparar a porcentagem sobre o pagamento, a taxa de saque e em quantos dias poderá sacar o dinheiro. 

 

04 | Faça Remarketing

De forma objetiva, o Remarketing quer dizer “fazer marketing de novo”. Trata-se de uma estratégia muito utilizada no marketing digital que consiste em exibir anúncios do Google Ads ou Facebook Ads e conteúdos para usuários que já demonstraram interesse nos seus produtos ou serviços.

 

Ou seja, é aquela mágica que acontece quando o consumidor passa a ser bombardeado por anúncios de produtos ou serviços que estava pesquisando. Essa técnica pode ser usada em diversas situações. Desde um e-mail para relembrar sobre os itens que foram colocados (e esquecidos) no carrinho de compra, até um aviso de alguma promoção no site que possa ser do interesse dessa pessoa.

 

Uma das maiores vantagens de fazer remarketing é que ele ajuda alcançar os clientes que estão mais propensos a comprar o seu produto ou serviço. Isso porque mostra a mensagem certa, para as pessoas certas, no momento ideal, ampliando consideravelmente as chances de aumentar as vendas de fim de ano.

 

05 | Aposte na automação

Automatizar os processos significa economia de tempo, energia e dinheiro e aumento de produtividade e eficiência. Isso é possível porque a automação usa plataformas para garantir uma comunicação com base no comportamento dos consumidores. Ou seja, ela ajuda você a analisar o engajamento do público e permite a criação de ações personalizadas. 

 

E, diferente do que se imagina, a automação vai além dos disparos de email marketing. A ferramenta permite ações integradas com mídias sociais, site, landing page e diversos outros canais.

 

06 | Promoções para aumentar o ticket médio

Existem várias técnicas para aumentar o ticket médio do seu ecommerce. Vou listar algumas que são bem coringas e podem ser utilizadas em qualquer tipo de nicho de vendas no varejo online.

 

A primeira é Combos de produtos. Reúna dois ou três produtos que façam sentido serem comprados juntos e dê um desconto para que a peça queira levar o combo e não  comprar cada produto separadamente. Esta é uma ótima forma de fazer o cliente levar mais produtos e consequentemente, aumentar o ticket médio.

 

Outra ação que gostamos bastante e sempre indicamos aos nossos clientes aqui da Brasil na Web é o desconto progressivo. Por exemplo, ao comprar uma peça de roupa (produtos selecionados) o cliente ganha 10% de desconto, ao levar duas peças ganha 15% e ao levar 3 peças ganha 20%. Essa é uma forma de o seu cliente investir mais dinheiro em compras no seu e-commerce. 

 

Por fim, vamos falar do frete. Este é um fator importante que pode fazer com que o cliente desista da compra. Por isso, que tal utilizar em determinada época do mês uma promoção de frete grátis ou quem sabe um frete fixo. Claro que é preciso definir um ticket médio em compras que valha a pena arcar com o custo do envio para o seu cliente. Mas, costuma ser uma ação que fazem com que os clientes comprem mais.

 

Gostou deste conteúdo? Deixe seu comentário!

Social Commerce: Veja como usar essa tendência a favor da sua marca

veja como usar o social commerce a favor da sua marca

A sua empresa já usou ou tem utilizado o social commerce? Confira este conteúdo que preparamos e descubra como aproveitar essa tendência a favor da sua marca!

 

Quantas vezes antes de realizar uma compra você pesquisou sobre produtos ou serviços no Google, em fóruns ou blogs? Ou quantas vezes já foi impactado por um anúncio de um determinado item que foi alvo de pesquisa mas que por alguma razão não acabou comprando? Tudo isso faz parte do social commerce.

 

O social commerce pode ser caracterizado como o uso das redes sociais para interagir, se aproximar e proporcionar a troca de informações sobre os seus produtos ou serviços influenciando no processo de compra. Assim, o intuito do social commerce é promover e também vender as suas soluções nas redes sociais transformando todos os seus canais digitais em verdadeiros promotores da marca.

Conceituando o Social Commerce

O Social commerce é um termo em inglês que traduzido para o português significa Comércio Social. Trata-se da união do e-commerce com as mídias sociais. E é graças a essa fusão que hoje os consumidores conseguem ajudar uns aos outros na compra e venda de produtos e serviços virtuais.

E mais que isso, as interações geradas pelo social commerce impactam diretamente em três pontos chaves para qualquer negócio: compra, consolidação da marca e popularização dos serviços ou produtos.

Quer um exemplo de como o social commerce funciona na prática? Certamente em algum momento antes de finalizar uma compra você acessou o site do Reclame Aqui para conferir a credibilidade de uma empresa.  Ou provavelmente já adquiriu algo por ter visto alguém do seu convívio ou algum influenciador digital usando e divulgando a marca ou produto.

Segundo uma pesquisa realizada pela Opinion Box, os brasileiros são altamente influenciados por celebridades em meios digitais em suas decisões de compra.

  • 67% dos usuários do Instagram no Brasil seguem algum influenciador digital;
  • 55% dos entrevistados disseram já ter comprado algo indicado ou utilizado por um influenciador digital;
  • 18,5% afirmam que já foram influenciados por celebridades durante seu processo de decisão de compra;
  • 82% dos brasileiros seguem marcas no Instagram;
  • 47% interagem com posts de empresas e marcas.


Além disso, conforme um estudo da Statista, principal referência no planeta a respeito de dados relacionados ao mundo digital, somente neste ano mais de 40% das pessoas afirmaram ter comprado algo devido ao trabalho dos influenciadores. Um fato interessante é que por conta desse dado, hoje os consumidores brasileiros se tornaram os mais impactados por influência digital no planeta. Posto que até 2019 era ocupado pelos chineses.

Por que o Social Commerce é importante?

A resposta é simples: Porque a maioria dos brasileiros já fez compras pelas redes sociais!

De acordo com o Instituto QualiBest, 62% da população brasileira realizou compras via social commerce.

  • 44% compraram por meio de grupos específicos de compra e venda no Facebook ou no WhatsApp;
  • 25% compraram por meio de anúncios nas redes sociais;
  • 20% adquiriram produtos e serviços em páginas de marcas ou de revendedores;
  • 12% afirmaram ter comprado por meio do anúncio de um influenciador digital.

Os dados da pesquisa ainda apontam que os usuários gostam de interagir com os perfis das marcas nas redes, especialmente os mais jovens. Confira!

  • 89% seguem perfis de marcas no Instagram, e entre as pessoas de 20 a 29 anos, esse número sobe para 97%;
  • 88% dos usuários aceitam ser seguidos por marcas e pessoas que querem divulgar seu trabalho ou seu serviço;
  • Já no Facebook, 80% dos usuários seguem perfis de empresas e marcas, e 78% aceitam ser seguidos por empresas;
  • 39% concordam que as propagandas nas mídias sociais são uma forma de se manter atualizado sobre tendências ou lançamentos;
  •  43% dos usuários consideram os anúncios do Facebook  interessantes;

 

Esses números são uma pequena amostra de quanto os seus potenciais clientes e consumidores estão presentes nas redes sociais e as utilizam quando o assunto é comprar. 

 

De acordo com a  We Are Social, atualmente 4,2 bilhões de pessoas utilizam as redes sociais no mundo, fazendo com que o social commerce evolua a passos largos.

Como aplicar o Social Commerce?

Uma excelente forma de aplicar o social commerce na sua empresa é criando conteúdos relevantes e de valor que exponham pontos positivos do seu negócio. Vale investir num blog, YouTube, no Instagram Shopping (a famosa loja no Instagram) e outros formatos que se adequem ao seu consumidor.

Aqui na Brasil na Web você consegue conectar a sua loja virtual à loja no Instagram, o que facilita muito a interação do seu público com a sua loja virtual, já que, ao marcar produtos em publicações no Instagram o usuário pode clicar nesta publicação e ser redirecionado para a loja virtual, onde poderá finalizar a compra.

Além disso, incentivar a interação do seu público com comentários e avaliações. Foque também em algumas boas práticas para melhorar a sua reputação e proporcionar uma experiência agradável ao seu cliente.

Dialogue com os seus consumidores, produza conteúdos que sejam condizentes com o seu público alvo, bem como nunca negligencie o seu e-commerce ao dar início as suas estratégias de social commerce.

Lembre-se, o objetivo final é gerar vendas independente do canal que você utilize. O social commerce é uma das tendências para este ano e o conceito de omnicanalidade não para de crescer. Ou seja, você precisa estar sempre presente para atender o seu consumidor em todos os locais em que ele se encontra, sejam quais forem.

Chatbot para E-commerce: 5 vantagens que a tecnologia oferece

Chatbot para E-commerce: 5 vantagens que a tecnologia oferece

Você sabe quais as vantagens de ter um chatbot para e-commerce? Bem, é sobre isso que vamos conversar neste conteúdo!

Ter uma loja virtual exige muita dedicação, disposição, organização e tempo, entre outras coisas. Entretanto, com a correria do dia a dia e as inúmeras tarefas para executar, uma das maiores dificuldades enfrentadas pelos gestores de e-commerces é conseguir atender os clientes de forma ágil e eficiente.

Isso acontece porque normalmente os canais de comunicação do e-commerce recebem inúmeras mensagens dos clientes simultaneamente. São questionamentos sobre a empresa, especificações dos produtos, dúvidas referentes a forma de pagamento, e muito mais. Assim, o que na maioria das vezes acaba ocorrendo é que com todo esse empenho e tempo investidos no atendimento ao cliente, as demandas estratégicas, que são essenciais para o desenvolvimento do seu negócio, acabam ficando em segundo plano.

 

Então, nesse exato momento você deve estar se perguntando: “O atendimento aos clientes não deveria ser uma prioridade?”. Óbvio que deve, e é exatamente para que a sua empresa seja capaz de realizar essa tarefa com maior facilidade e eficiência é que iremos apresentar os benefícios do chatbot para e-commerce.

 

O que é e qual o intuito do chatbot para e-commerce?

Antes de explicar como o chatbot para e-commerce funciona, vamos começar falando sobre o conceito da palavra chatbot. Um chatbot é um software que tenta interagir com as pessoas da mesma maneira que um humano faria. O intuito é responder às perguntas dos potenciais clientes ou consumidores de tal forma que eles tenham a impressão de estar conversando com um atendente humano e não com um programa de computador.

Atualmente, há dois tipos de chatbot para e-commerce. Um que se baseia em regras e comandos pré-estabelecidos, e o bot com Inteligência Artificial (IA), que utiliza as informações coletadas ao longo do atendimento para aprender mais sobre o seu público e aperfeiçoar o modo como se comunica.

Ambos são ferramentas que otimizam os processos de atendimento e o tornam mais eficiente, respondendo os clientes da sua empresa em múltiplas plataformas, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Entretanto, é importante ressaltar que investir em um chatbot para e-commerce com IA proporciona que os seus usuários interajam com um chatbot de linguagem natural, cheio de personalidade e mais empático. Existem, inclusive, diversas empresas especializadas na criação de chatbot para e-commerce.

Como funciona um chatbot para e-commerce?

Um chatbot para e-commerce é garantia de respostas rápidas e consequentemente um aumento no número de atendimentos. E como ele está sempre online, interagindo em todas as plataformas que a sua empresa utiliza, automaticamente o seu negócio fica vários passos à frente dos concorrentes que ainda não usam essa tecnologia.

Além disso, a cada diálogo que o chatbot para e-commerce estabelece, os dados fornecidos pelos usuários são coletados e armazenados para compreender melhor o comportamento desse consumidor. E são justamente essas informações que auxiliam você a indicar os produtos ou serviços de acordo com o perfil de cada cliente.

Vamos a um exemplo prático. Recentemente uma empresa brasileira que atua no setor de produtos cosméticos, foi uma das primeiras do ramo a criar um chatbot com aplicação de inteligência artificial, que opera em aplicativos de mensagens para automatizar respostas.

A missão do bot dessa empresa não é somente esclarecer dúvidas, mas também conversar sobre a marca e ajudar os usuários a escolherem os produtos conforme suas preferências. Neste caso, a assistente virtual está presente no Facebook Messenger e possui integração com o e-commerce e catálogo de produtos.

 

5 Benefícios que um chatbot para e-commerce proporciona

Agora que já explicamos o que é um chatbot para e-commerce, qual a finalidade dessa ferramenta e como ela funciona, listamos alguns benefícios que essa tecnologia oferece ao seu negócio. Confira!

1 | Reduz os gastos operacionais – Com um chatbot para e-commerce é possível reduzir a quantidade de profissionais envolvidos no atendimento ao cliente, o que diminui consideravelmente os custos da sua loja virtual.

2 | Economiza tempo – Enquanto o chatbot para e-commerce realiza o atendimento 24 horas por dia, 7 dias por semana, você tem mais tempo para se dedicar a tarefas mais complexas que somente podem ser feitas por um humano.

3 | Otimiza as etapas de compra – Ao esclarecer todas as dúvidas do cliente e informá-lo acerca de tudo que questionou sobre a empresa, produtos ou serviços de forma rápida, o chatbot para e-commerce transmite credibilidade. O resultado? O consumidor logo se sente confiante para efetuar a compra.

4 | Amplia o reconhecimento da sua loja – Sempre que um cliente vivencia uma experiência de atendimento agradável acaba compartilhando com alguém, seja pessoalmente ou através da internet. Logo, se um chatbot para e-commerce causa uma boa impressão e cria um diálogo interessante, o reconhecimento da sua loja aumenta.

5 | Engaja os usuários – Com conversas atraentes e personalizadas, utilizando uma linguagem voltada diretamente para o seu público, o chatbot para e-commerce é capaz de atrair e cativar ainda mais clientes.

 

Melhorar a experiência dos clientes e otimizar os processos são apenas alguns dos benefícios que um chatbot para e-commerce pode proporcionar ao seu negócio. Conta pra gente se a sua loja virtual já utiliza essa tecnologia!v

Pix para E-commerce: Veja os benefícios que oferece ao seu negócio

Benefícios do pix para e-commerce

Você já fez algum pix para e-commerce? Bem, pode até ser que ainda não tenha realizado um pix para comércio eletrônico, mas certamente em algum momento nos últimos meses experimentou essa modalidade de pagamento.

Criado pelo Banco Central e em uso desde novembro de 2020, o pagamento instantâneo, popularmente chamado e conhecido por PIX, tem conquistado e se tornado a preferência dos brasileiros. Isso porque, do dia do seu lançamento até hoje, aproximadamente 75 milhões de pessoas já usaram o sistema, segundo dados da instituição. Além disso, no mês de abril deste ano foi constatado que o número de transações instantâneas realizadas ultrapassou a quantidade das transferências tradicionais (TED e DOC) efetuadas.

Essa aceitação e consequentemente sucesso do pix está relacionada ao cumprimento do objetivo pelo qual ele foi desenvolvido: simplificar e facilitar a rotina tanto de quem compra, quanto de quem vende. Assim, por se tratar de um meio de pagamento eletrônico rápido, sem taxas e disponível 24 horas por dia nos sete dias da semana, o pix para e-commerce oferece muitos benefícios ao seu negócio. Confira!

Pix para e-commerce: 6 motivos para aderir

Especialmente em uma época em que houve um aumento considerável nas vendas online devido a pandemia ocasionada pelo Coronavírus, o pix chegou oferecendo praticidade, comodidade e agilidade. As vantagens desse sistema financeiro são tantas que rapidamente o varejo passou a implementar o formato de pagamento que hoje já pode ser encontrado como opção em diversas lojas e, principalmente, nos e-commerces.

Pensando nisso, separamos 6 motivos para você aderir as transações via pix para e-commerce no seu negócio!

1 | Aumento da base de clientes e a maior fidelização

De acordo com a pesquisa Me, My Life, My Wallet (Eu, Minha Vida, Minha Carteira) da KPMG, sobre hábitos de consumo em 2021, 26% dos consumidores afirmam que realizar transações de compra fáceis é o que mais esperam de uma empresa. Isso mostra o quanto a facilidade para pagar é um fator determinante na jornada de compra do consumidor do e-commerce.

Lembre-se, quanto mais eficiente for o seu processo de vendas, menores as chances do cliente mudar de ideia e adiar a compra. Outro aspecto positivo e que beneficia ambos os lados, é que a agilidade de aprovação do pagamento proporcionada pelo pix para e-commerce acelera o status do pedido e pode fazer com que o consumidor receba os produtos antes do prazo informado. Ponto para o seu negócio, que não apenas realizou a venda, como deixou o cliente satisfeito!

2 | Menor desistência de compras

Sabia que o tempo que se leva para fazer um pagamento e as ações necessárias para finalizar a transação estão entre as principais razões pelas quais os consumidores desistem da compra? Não adianta nada escolher os produtos de forma prática e rápida, mas não conseguir concluir o processo porque precisa preencher diversos formulários.

E mais decepcionante ainda, dedicar um tempo para preencher o que foi solicitado e só depois descobrir que nenhuma das formas de pagamento oferecidas no site se encaixa para você. Triste para os consumidores, e ainda mais para quem vende, visto que essas desistências podem representar para o comércio eletrônico uma perda de U$2 a 4 trilhões por ano, conforme pesquisa do Baymard Institute.

Logo, o pix para e-commerce colocou fim a esse transtorno. Esse formato de pagamento permite que qualquer consumidor que possua conta no banco possa realizar o pagamento online, sem necessidade de cartão de crédito ou débito. Além disso, deixou para trás a emissão de boletos, que demorava dias para compensar o pagamento.

3 | Transações rápidas e seguras

Isso é unanimidade entre os consumidores e proprietários das lojas virtuais, pagar e receber de forma ágil e segura.

Com o pix para e-commerce o cliente não precisa perder tempo preenchendo diversas informações do destinatário. Utilizando uma chave única, ou seja, um só dado (como por exemplo o CPF), a transação é aprovada. E após inserir essa chave única e o valor a ser transferido, o dinheiro leva apenas alguns segundos para entrar na conta do favorecido.

É importante salientar que a ferramenta foi desenvolvida para oferecer total segurança nas transações com base em regras de criptografia, processos de autenticação, assinatura digital e gestão dos certificados digitais, Logo, o pix para e-commerce pode e deve ser considerado tão confiável quanto as tradicionais transações via TED ou DOC.

4 | Contribui para a redução de custos

O pix para e-commerce proporciona aos proprietários das lojas virtuais uma redução de custos. A modalidade de pagamento instantânea é menor do que os valores cobrados para gerar boletos ou custear as taxas das transações via cartão.

5 | Maior controle do caixa

Como qualquer aplicação de pagamento digital, a transação do pix para e-commerce fica registrada no sistema. Dessa forma, você consegue ter mais controle financeiro sobre o que entrou no seu caixa ao finalizar o dia.

6 | Fim do estorno por fraudes

Quem é empreendedor sabe que quando um cartão de crédito é fraudado e uma compra é feita no e-commerce, o prejuízo do envio do produto fica todo com a loja. Já quando é feito um pix para e-commerce, a instituição financeira ou fintech é quem responde para o cliente pela falha na segurança, evitando que o seu negócio seja penalizado injustamente.

Com o pagamento instantâneo o e-commerce só é obrigado a devolver o dinheiro do consumidor quando não tiver o produto em estoque ou por algum motivo não puder efetuar a entrega.

Gostou do nosso conteúdo? Aproveite a facilidade do PIX para e-commerce e não deixe de criar a sua loja virtual.

No mercado desde 2005, a Brasil na Web respira e-commerce e busca oferecer uma experiência cada vez mais diferenciada para os clientes e parceiros.

Venha fazer do e-commerce seu investimento de sucesso!

Crescimento do e-commerce: como aproveitar o boom das lojas online

É impressionante como mesmo diante da crise econômica provocada pela pandemia da Covid-19, houve um crescimento do e-commerce. De acordo com a Associação Brasileira de E-commerce (ABComm), ocorreu um aumento de aproximadamente 18% no setor se comparado ao ano anterior, atingindo em receita pelo menos R$ 106 bilhões. Além disso, as projeções indicam que esse cenário pode melhorar ainda mais.

Conforme um relatório divulgado pela Neotrust, ao longo dos três primeiros meses de 2021, foram realizadas 78,5 milhões de compras em lojas online. Um acréscimo de 57,4% em comparação ao mesmo período do ano passado que resultou em um faturamento de R$ 35,2 bilhões (72,2% a mais do que em 2020).

E se no começo do ano o esperado era a chegada da nova variante do coronavírus e, consequentemente, a redução da intensidade dessa expansão, nos deparamos com uma surpresa agradável que foi o avanço ainda mais acentuado das vendas no e-commerce.

Diante deste cenário e expectativas, surge um questionamento: como aproveitar o boom do crescimento do e-commerce? Continue a leitura e veja algumas dicas importantes.

5 dicas para se beneficiar do crescimento do e-commerce

1 | Tenha uma presença digital

A primeira dica para quem deseja aproveitar o crescimento do e-commerce é ter uma presença digital. Mas, afinal, o que é isso? Bem, de forma objetiva, significa o modo como a sua marca se posiciona na internet, gerando valor para os usuários e se relacionando com o público.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2019, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população brasileira está cada vez mais conectada. De acordo com o levantamento, 82,7% dos domicílios nacionais possuem acesso à internet, um aumento de 3,6 pontos percentuais em relação a 2018.

E nesse momento pode ser que você esteja se perguntando o que esses dados representam para o seu negócio. A resposta é: TUDO! Com o número elevado de potenciais clientes online e também de concorrentes é fundamental que a sua empresa também esteja bem posicionada na internet. Lembre-se daquele ditado antigo de que “quem não é visto não é lembrado”.

Portanto, investir em marketing digital irá ajudar você não somente a divulgar a sua marca, mas, principalmente, fidelizar seus clientes e, dessa maneira, vender seus produtos e serviços.

2 | Crie um site ou blog

Isso mesmo, criar um site ou blog, e se possível os dois. Afinal, por mais que as redes sociais sejam incríveis e auxiliem muito no crescimento do e-commerce, é essencial ter o seu domínio na internet. Ou seja, um cantinho para chamar de seu.

Veja um exemplo prático de como isso é relevante: Sabemos que os canais como Facebook, WhatsApp e Instagram são uma excelente ferramenta para aumentar a sua presença digital como explicamos acima e potencializar suas vendas. Entretanto, é extremamente arriscado investir toda a sua energia em plataformas que não são suas e podem apresentar instabilidades ou até mesmo “sumir” com o passar dos anos.

Recentemente diversas empresas que trabalham com a plataforma mLabs, empresa de gerenciamento de redes sociais, tiveram seus posts apagados no Facebook e no Instagram. A mLabs foi punida pelo Facebook e posts de clientes ficam fora do ar. Além disso, também foram desativados o app de desenvolvedor da mLabs, as páginas comerciais da empresa, o grupo do Facebook e os perfis de fundadores e administradores responsáveis pela integração do app mLabs com o Facebook. O resultado: mais de 330 mil empreendedores foram afetados por essa punição.

Assim, ter o seu próprio site é sinônimo de liberdade e segurança, uma vez que você não fica à mercê das regras impostas pelas plataformas e aplicativos, nem de vir a sofrer punições ou perder seus conteúdos parcial ou totalmente a qualquer momento.

3 | Invista em SEO

SEO, Search Engine Optimization, que em português quer dizer Otimização para mecanismos de busca é um conjunto de técnicas para otimização para sites, blogs e páginas na internet no geral. Quando o seu negócio investe em SEO, suas chances de se destacar e ser encontrado pelos consumidores nas primeiras páginas do Google aumentam de modo considerável.

[LEIA TAMÉM SOBRE COMO A HOSPEDAGEM NA WEB PODE QUEBRAR SEU SEO ]

Isso porque, conforme usuários do Google, 90% deles clicam apenas nos resultados que aparecem na primeira página de busca. Logo, essa estratégia é primordial para gerar leads, aumentar seu número de clientes e proporcionar o crescimento do e-commerce.

4 | Entenda o perfil do seu consumidor

O perfil do consumidor se transforma constantemente, e quando você almeja o crescimento do e-commerce é de extrema importância que compreenda os desejos dos seus potenciais clientes. Entender o que eles querem ajuda a descobrir em quais ambientes digitais eles estão inseridos, e quais as melhores estratégias devem ser utilizadas para vender seus produtos ou serviços.

5 | Valorize a experiência do usuário

A Experiência do Usuário (em inglês, User Experience – UX) diz respeito ao que uma pessoa sente ao interagir com uma empresa, especialmente em um contexto de site, aplicação web ou outra tecnologia digital. Em outras palavras, é o ato de se colocar no lugar do cliente e avaliar o seu site, funcionalidades e navegabilidade dele pela ótica do consumidor.

Ao fazer isso visando o crescimento do e-commerce você deve sempre se questionar: “e se eu precisasse comprar algo no meu site, gostaria que ele fosse assim?”. Nunca esqueça também do quanto é importante fazer o consumidor se sentir único e especial.

 

Nossas dicas foram relevantes para você? Se sim, compartilhe ou envie esse conteúdo para que mais pessoas fiquem informadas.

 

 

Ferramentas que você precisa usar para alavancar o seu e-commerce

Para melhorar o seu e-commerce, é interessante que esteja atento a novidades do mercado e em como elas podem ser melhor utilizadas pela sua empresa, em prol de gerar mais engajamento e também garantir uma melhor performance de mercado.

 

Sendo assim, como uma forma prática de alavancar o seu e-commerce, você verifique algumas dicas dispostas neste artigo como um meio de garantir uma melhor experiência dentro do seu segmento de atuação. Quer saber mais sobre isso? Prossiga com a leitura!

Desenvolvimento de um e-commerce

Geralmente, o desenvolvimento de um e-commerce acontece desde o planejamento da sua criação, definindo metas, público de interesse, produto, área de atuação e muito mais. Sendo assim, é viável que a partir da sua implantação algumas ferramentas sejam incrementadas para que ele possa ser alavancado significativamente dentro do seu mercado de atuação.

 

Por isso, é comum que muitos e-commerces disponibilizem produtos, como o grupo gerador de energia, e tem um excelente retorno devido às ferramentas utilizadas para implementar esse produto dentro da sua área de atuação e fazer com que o seu público de interesse consiga achar esse produto com mais facilidade.

 

Diante disso, é essencial saber quais ferramentas usar e quando utilizá-las, a fim de ter o melhor desenvolvimento e performance para o seu público, além de garantir que o seu mercado esteja sempre em movimento abrindo uma vantagem competitiva para a sua empresa.

Ferramentas indispensáveis 

Com um meio de garantir que essas ferramentas possam ser efetivamente utilizadas, sendo tão úteis quanto um carrinho plataforma para uso no dia a dia de uma indústria, por exemplo, é essencial entender um pouco mais sobre elas e a sua funcionalidade, principalmente, dentro do dia a dia comercial. Sendo elas:

E-mail marketing

Essa ferramenta em si é extremamente poderosa e é uma excelente tática de estabelecer um relacionamento melhor com o cliente oferecendo descontos e promoções que farão com que o cliente se sinta mais acolhido pela marca e valorizado, promovendo, na maioria das vezes o fluxo de venda muito melhor por parte dessas pessoas, também conhecidos como leads qualificados.

CRM

É uma ferramenta tão essencial quanto uma bomba hidráulica, pois o Customer Relationship Management vai promover uma interação muito mais atraente para o cliente e também deixar registrado todas as suas etapas no processo de compras, facilitando eventuais problemas a serem resolvidos.

 

Google Analytics

A maioria das plataformas disponíveis pelo Google tem uma excelente função e desempenho para compor o seu e-commerce, uma delas é o Google Analytics que tem a importante função de analisar sites de forma gratuita e ser uma excelente captação de dados sobre outras plataformas que acessam o seu e-commerce.

 

Diante disso, é evidente que essas ferramentas quando o postas em uso, tem até o resultado muito mais efetivo e seria uma excelente proposta de mercado promovendo uma alta performance para sua empresa e o reconhecimento maior para o seu e-commerce dentro do mercado de atuação dele.

Este artigo foi produzido por Eduarda Prestes, criadora de conteúdo do Soluções Industriais.

ERP: porque a sua empresa precisa dessa solução

É muito comum que as pequenas e médias empresas tenham dúvidas sobre a necessidade de utilizar softwares ou recursos tecnológicos na gestão da empresa, pois acreditam que, por não serem grandes, conseguem desempenhar a função sem maiores problemas.

Em muitos casos, os empreendedores acreditam que o investimento necessário para a implantação desses recursos é alto e por isso nem procuram soluções tecnológicas completas que facilitem o dia a dia da empresa.

Mas estão enganados. Um sistema ERP, por exemplo, contribui para o aumento da produtividade e também para a redução de custos da empresa, aumentando a sua lucratividade.

Além disso, os softwares mais modernos são muito menos onerosos por se tratar de sistemas com armazenamento em nuvem, que eliminam a necessidade de instalação de equipamentos e de manutenções periódicas que tornavam os ERPs antigos bastante caros.

Um sistema ERP online pode se tornar uma poderosa ferramenta para que sua empresa aumente a integração entre os setores e também a competitividade no seu mercado de atuação.

As pequenas e médias empresas são as mais beneficiadas já que muitas vezes não podem contratar a quantidade de colaboradores necessária, mas possuem muitas responsabilidades.

 

O que é um ERP?

O ERP é um sistema de gestão empresarial online que unifica em um apenas um sistema todos os dados essenciais dos diversos setores da empresa.

Através dele é possível realizar a gestão financeira, acompanhando fluxo de caixa, pagamentos, recebimentos, criando orçamentos, a gestão contábil, com as emissões de notas fiscais de controle de pagamentos de impostos e obrigações, gestão de recursos humanos, gestão de clientes, gestão de vendas, controle de estoque e muito mais.    

As informações de cada setor da empresa são inseridas em módulos específicos que se integram, portanto as informações registradas no sistema podem ser visualizadas e utilizadas por todos os outros setores responsáveis.

Além disso, o software de gestão empresarial ERP permite a integração com outras plataformas como as de criação de lojas virtuais e e-commerce, facilitando ainda mais a inserção e organização das informações da empresa e dos clientes.

 

Benefícios para a empresa

  • Organização

A desorganização de informações pode gerar grandes prejuízos às empresas, que precisam fornecer aos seus colaboradores uma visão clara de suas funções, com acesso a todas as informações necessárias para o trabalho, e os objetivos desejados.

As empresas bem organizadas são mais eficientes e alcançam melhores resultados.

  • Produtividade

A facilidade de acesso às informações e a organização gera resultados de aumento da produtividade, com a melhor integração das áreas e visualização de problemas nos processos internos.

A automação de processo oferecida pelo recurso ERP também reduz a realização de processos internos manuais e repetitivos, contribuindo para a diminuição da incidência de erros e de retrabalho.

  • Tomada de decisões

Um dos principais recursos do ERP é a possibilidade de gerar relatórios em tempo real, com informações precisas que ajudam a visualizar a empresa de forma ampla, identificando problemas e oportunidades previamente, permitindo a criação de cenários futuros.

Com esse recurso o gestor consegue ter melhor condições de tomar decisões importantes para a empresa sem receio de errar.

  • Evolução tecnológica

A tecnologia está presente em todos os aspectos da vida e as empresas precisam aproveitar os recursos disponíveis para melhorar o seu desempenho e ampliar o seu crescimento.

Os sistemas ERP têm papel fundamental na transformação digital das empresas, facilitando o reconhecimento da marca, a qualidade dos serviços, e a melhor experiência dos clientes.

  • Acessibilidade

O armazenamento em nuvem permite que todas as informações sejam acessadas de qualquer lugar e em qualquer horário, sendo necessário apenas um equipamento eletrônico e acesso à internet.

Esse recurso proporciona flexibilidade de trabalho aos colaboradores e também aos gestores da empresa, que podem acompanhar os dados mesmo durante viagens ou reuniões fora da empresa.

A utilização de servidores em rede também garante a segurança das informações, através da criptografia, e a estabilidade do sistema, além dos backups automáticos que garantem que todas as informações serão registradas no sistema diariamente.

Agora você já sabe o que é um ERP para pequenas e medias empresas e certamente percebeu as vantagens desse recurso, principalmente para as pequenas e médias empresas.

Um sistema de gestão empresarial é um dos melhores investimentos que uma empresa pode fazer. No mercado acirrado como é o atual, nenhuma empresa é pequena demais para buscar uma solução empresarial e aumentar sua competitividade.

Lojas Virtuais responsivas vendem mais

O perfil da população mudou radicalmente desde que a internet passou a fazer parte do dia a dia. A relação com os amigos mudou, a forma de se fazer trabalhos escolares e acadêmicos também. Agora tudo é online e a informação passou a ser fácil e em apenas um clique. Consequentemente, a forma de se comprar também mudou. É muito comum ver pessoas fazendo compras pela internet e por isso ter uma loja virtual responsive não é uma questão de escolha, é uma necessidade! E esse é assunto que será o foco de nosso texto.

O grande facilitador do acesso à internet foi a invenção dos smartphones, que de acordo com pesquisas do IBGE, é o meio preferido pela maioria dos brasileiros para se acessar a internet. Só para se ter uma ideia,em 2014, 36,6 milhões de casas brasileiras já acessavam a internet, o que representa 54,9% do total de habitantes do Brasil. Destes, a cada 5 casas, 4 utilizam o celular para navegar na web.

A importância da boa experiência de compra em lojas virtuais responsivas

Diante do número alto de pessoas que acessam a internet de smartphones, é imprescindível se pensar na experiência do usuário nas compras feitas de smartphones e tablets.  De acordo com pesquisas realizada pelo Google, que é uma das maiores empresas de marketing online do mundo, um site que é responsive (otimizado para dispositivos móveis) converte duas vezes mais que um site que não é otimizado. Nós sabemos que o consumidor é exigente, e com as plataformas online não é diferente. Se o cliente acessa uma loja que é difícil de  navegar, ele logo sai e clica no próximo da lista da pesquisa que realizou no Google . Percebeu como o problema é crítico?

Além disso, em 2015 aconteceu o mobilegeddon, onde o Google passou a dar preferência nos resultados de busca orgânico para sites que são responsive. Isto quer dizer que a maioria do tráfego das pesquisas são dadas aos sites otimizados para celular. Sabe-se que, quanto mais visitantes um site recebe, maior é a probabilidade de este conseguir uma conversão, que para uma loja virtual é uma venda.

Não podemos negligenciar a questão de que, não basta apenas ter um site responsive e esperar que ele por si só gere vendas. Para se ter conversões em uma loja virtual é preciso que sejam realizadas algumas ações de marketing digital como SEO,  marketing de conteúdo, anúncios, email marketing, dentre outros. Assim o lojista garante que a loja receberá muitas visitas, que somada a uma boa experiência de compra aumentará a probabilidade de vendas.

Como saber se seu site está otimizado para dispositivos móveis?

Depois de todas estas explicações você já deve ter se convencido de que a melhor coisa a se fazer é ter uma loja otimizada para celular, certo? Aí fica a dúvida, como saber se a sua loja é responsive?

Bom, existe uma ferramenta do Google em que você pode fazer o teste e verificar se sua loja é otimizada para celular. O teste é gratuito, não se preocupe!

Fazer o teste de loja virtual responsive

Se você fez o teste e a sua loja não passou no “crivo”, saiba que há esperança para você! =D

A má notícia é que é necessário se criar uma nova loja virtual e a boa notícia é que é possível fazer isto com um investimento que cabe no seu bolso.

Plataforma para loja virtual (site de vendas) otimizado para celular

Muitas empresas trabalham com plataformas desenvolvidas para se adaptar à vários formatos de tela. Mas fique atento à todos os detalhes que a empresa proporciona para fazer a melhor escolha para a sua empresa.

Neste post vou abordar a o sistema de loja virtual da Brasil na Web, que trabalha com uma plataforma de loja virtual open Source, a Open Cart. O nosso diferencial está nas atualizações que são feitas continuamente, o suporte aos clientes e garantia de continuidade.

Para você ter uma ideia, na última atualização feita na plataforma de ecommerce Open Cart versão Brasil na Web, além de vários recursos implementados e bugs corrigidos, foi aprimorada a versão mobile da loja virtual, que ficou muito mais amigável e fácil de usar. Dentre os itens incluídos na atualização do 1° semestre de 2017 estão:

  • Opção de exibir ou esconder o banner simples no mobile e no desktop. Item super interessante, pois muitas vezes é necessário criar um banner especial que se encaixe em telas de celular e tablets.
  • Adicionada TAG para mudar de cor o navegador em mobile de android para a mesma cor escolhida na cor do fundo da loja virtual. Isto quer dizer que se o fundo da sua loja for azul, a aba do navegador ficará azul ao invés do cinza, o que ajuda na identificação da sua loja virtual.
  • Adaptado topo no mobile, deixando a busca sempre visível e apenas os links de carrinho e login. A versão da open cart default não tem a opção de busca destacado, item que é de extrema importância em dispositivos móveis.
  • Melhoria na exibição da imagem do detalhe do produto, em mobile.
  • Adicionada opção de escolher, para o mobile, quantos produtos por linha devem ser exibidos
  • Adicionada opção de escolher, para o mobile, quantos produtos por linha devem ser exibidos
  • Ajuste no mapa de cores para a cor do texto do menu mobile seguir a mesma da cor do menu desktop.
  • Ajustado o CSS do simulador de frete no detalhes do produto para poder ficar ao lado do texto “simule o frete” e no mobile um embaixo do outro.

Se você quiser saber todos os itens que foram atualizados é só acessar o link: Atualização Open Cart versão Brasil na Web.

Então, agora você já sabe porque uma loja virtual otimizada para celular converte mais, na hora de escolher a sua loja virtual, seja exigente! Opte por uma plataforma de loja virtual que é responsive e que é preparada para fornecer a melhor experiência de compra!

Referências

Agencia Brasil

Google Apis

Globo

 

 

 

Influencie a decisão de seu consumidor com cupons de desconto para comprar em sua loja virtual

loja-virtual-cupom-de-desconto

São muitos os fatores que podem influenciar a decisão do consumidor fechar (ou não) uma compra na sua loja virtual. Ter confiança na sua marca é importante, assim como encontrar boas condições de pagamento e de entrega. Mas o mais importante para garantir que a venda seja realizada na sua loja e não na de seu concorrente é mexer com a emoção do consumidor.

Existem alguns gatilhos mentais certeiros na hora de convencer o cliente a efetuar uma compra: você pode apelar para o senso de urgência, alegar exclusividade ou apresentar as últimas unidades de um produto, mas nada supera a eficácia de oferecer uma vantagem real para o consumidor. Quando o ser humano acredita que está fazendo um grande negócio, a conversão é quase certa.

E é aí que entram os cupons de desconto.

Ao publicar um cupom de desconto, você oferece a possibilidade do consumidor adquirir um produto (que muitas vezes ele nem precisa) por um preço abaixo do normal. E a possibilidade de fazer economia é simplesmente irresistível.

Se você possui uma loja virtual com a plataforma Open Cart será fácil criar um cupom de desconto. Basta entrar no painel de administração do seu site de vendas e acessar: vendas>cupons. Preencha todos os campos e pronto, seu cupom já estará disponível para ser utilizado.

==>Ainda não tem uma loja virtual? Crie um site de vendas agora!

Os benefícios dos cupons de desconto

Oferecer cupons de desconto traz uma série de benefícios reais para a sua empresa. Confira alguns deles:

Os cupons de desconto podem viralizar

Nossa tendência ao saber de boas novidades é compartilhar com os amigos. Ao oferecer um cupom de desconto realmente benéfico, você tem grandes chances de ver esse conteúdo viralizar e atrair novos clientes para seu e-commerce. Também é importante lembrar que os cupons de desconto costumam ser compartilhados em grupos e blogs especializados, o que aumenta o impacto virtual da sua marca.

Os cupons de desconto podem alavancar as suas vendas

Ao criar o seu cupom de desconto você pode determinar as regras do jogo. Se você deseja aumentar o ticket médio, basta estipular um valor mínimo para o desconto. Se o objetivo é acabar com o estoque de determinado produto, o cupom pode ser válido apenas na compra do mesmo. Trace metas para as suas vendas, e elabore o seu desconto a partir disso.

Os cupons de desconto diminuem as taxas de desistência no carrinho

Quando o cliente visualiza o impacto do cupom de desconto no carrinho, as chances dele desistir de efetuar a compra diminuem consideravelmente. Dessa maneira, diminuem seus investimentos em remarketing e você pode focar seus esforços em atrair novos clientes.

Você pode mensurar facilmente o resultado dos cupons de desconto

Com a ajuda do Google Analytics e de outras ferramentas, você pode visualizar facilmente o resultado do seu cupom de desconto e o impacto que ele causou nas suas vendas. O mesmo vale para as redes sociais: é muito fácil determinar o alcance dos seus posts a respeito do cupom de desconto.

Os cupons de desconto fidelizam o cliente

A sensação de ter feito um bom negócio é tão satisfatória que a sua empresa certamente causará uma boa impressão. São grandes as chances de que o cliente volte a buscar o seu e-commerce na hora de fazer novas compras!

Alguma dúvida de que os cupons de desconto são um excelente negócio para a sua empresa? Use a caixa de comentários para compartilhar sua experiência ao utilizar cupons de desconto na sua estratégia de marketing!

Black Friday Brasil

Saiba como funciona a Black Friday para o consumidor e para o lojista

Eu sou a Thais Pacheco e vou contar um pouco da história da black friday, dar dicas para os lojistas ganharem dinheiro, e a fazer uma boa compra, se consumidor final. =]

Essa história de Black Friday teve início nos EUA. Lá a Black Friday acontece para que os lojistas possam queimar o estoque antigo e dar lugar ao estoque novo. Geralmente, os lojistas norte americanos fazem grandes estoques. Então, ao se aproximar o Natal, data muito almejada e festejada pelas maioria das pessoas, os estoques antigos são colocados a preço de banana para que sejam comprados novos produtos.

A Black Friday acontece um dia após o feriado de Ações de Graças, ou seja, na 4°quinta feira do mês de novembro. Neste dia, várias lojas colocam produtos em promoções que chegam a até 90% de desconto. São 24 horas de promoções loucas!

A ideia tem dado tão certo que outros países copiaram essa estratégia de vendas  e o evento de compras acontece também no Canadá, Austrália, Reino Unido, Portugal, Paraguai e, é claro, no Brasil!

Mas, como é que os lojistas ganham dinheiro com isso, hein?

Na realidade, estocar mercadorias gera custo para a empresa. Imagina que a Empresa Y compra uma coleção de roupas do verão 2014. Ao passar dos meses a loja Y percebe que não foram vendidas determinadas peças.

Só que, o cliente não vai querer comprar uma peça da coleção do verão 2014 em 2015, certo? Então, uma boa maneira de “queimar” o estoque seria colocar tais produtos na Black Friday.

Uma outra questão a ser observada, é que, o capital de giro de uma loja está empregado, também, em produtos. Desta forma, estoque parado é sinal de perder dinheiro. Todo mundo sabe que o dinheiro desvaloriza com o tempo,então o melhor é não manter um produto em estoque por muito tempo. Tempo é dinheiro!

Tire suas mercadorias velhas do estoque e dê espaço para novas peças que certamente encantarão seus cliente neste natal.

Se precisar de uma ajudinha com o Marketing Digital ou banners para a sua loja virtual pode contar  com agente aqui da Brasil na Web. Teremos o maior prazer em ajudá-lo com a Black Friday!  =]

Mas, e o consumidor, como fazer para não entrar em uma #blackFraudeBrasil ?

Infelizmente, muitas lojas aqui do Brasil aumentam seus preços perto da data do Black Friday Brasil para poderem dar descontos ilusórios. Os descontos que seriam de 10% , 15% acabam se tornando 45%, 55% por causa da troca de preços próximo a data da black Friday Brasil.

Uma fraude mesmo, né! Por isso, vou dar algumas dicas para que vocês não caiam numa black Fraude Brasil, mas possam fazer compras felizes.

1°) Existem dois sites que você pode acompanhar o gráfico de alterações de preços: já cotei e buscapé . Assim você pode comparar a variação de preços do produto que deseja, e ter a certeza de que não está sendo enganado.

2°)Opte pagar por boleto bancário. Geralmente as lojas dão de 5% a 10% para quem escolhe por este tipo de pagamento.

3°) Faça uma lista dos produtos que deseja comprar, veja quais são suas características e o seu valor real.

4°)Faça seu cadastro no site www.blackfriday.com.br , assim você receberá várias ofertas por email e não precisará enfrentar filas, já que comprará online. Tem vários sites de lojas grandes que já tem a sua própria sessão de Black Friday, vale a pena fazer o cadastro.

5°)Não deixe para comprar na última hora, as melhores ofertas acabam rápido.

6°)Se for comprar em lojas que não conhece, procure antes de fazer a compra ,informações sobre esta loja no reclame aqui “Reclame Aqui”  e nas redes sociais desta empresa. As redes sociais são um termômetro muito bom!

O modelo de compras mudou e hoje o consumidor não apenas dita o que ele quer, como também opina sobre os produtos!

Depois destas dicas é só esperar pela Black Fraday Brasil. Eu já fiz meu cadastro no site da Black Friday e estou esperançosa. Quero comprar uma DSLR da Nicon =].

Então, gostou do post? Compartilhe!